Negócios

Dobra intenção de compra de aparelhos de TV com segunda parcela do 13º


Pesquisa ACSP/Ipsos também revela que roupas e calçados, com pagamento à vista, continuam a liderar as preferências na compra de presentes de fim de ano


  Por Redação DC 11 de Dezembro de 2017 às 08:59

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


De 2016 para este ano, quase dobrou a intenção dos brasileiros de adquirir um novo aparelho de televisão usando a segunda parcela do décimo terceiro salário, segundo pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

No ano passado, 4,8% dos entrevistados disseram que comprariam o produto com o benefício. Já em 2017, essa parcela subiu para 9%.

O levantamento foi realizado entre 1º e 14 de novembro pelo Instituto Ipsos em todas as regiões brasileiras.  

Foi o melhor índice dos últimos três anos, já que nos mesmos períodos de 2014 e 2015 os entrevistados que pretendiam comprar TV somavam 5,1% e 5,6%, respectivamente.

“Esse aumento significativo na intenção de comprar TV pode ser justificado pelo fim do sinal analógico, pela proximidade da Copa do Mundo e pela queda dos juros, que propicia extensão dos prazos para pagamento e diminuição da prestação, que passa a caber no bolso do consumidor”, diz Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

A pesquisa revela, inclusive, que 63% dos brasileiros que comprarão televisores o farão a prazo (37% à vista).

Roupas e calçados (67,2%) ainda são preferência nacional na lista de presentes da ACSP, resultado estável sobre o ano passado (68,3%).

A pretensão de pagamento à vista (69%) é maior do que a de pagamento a prazo (31%) para esses produtos.  

Em segundo lugar, estão bijuterias/artigos de perfumaria (13,4%), que também apresentaram alta na comparação com o ano passado (9,5%).

Neste caso, 67% dos consumidores pagarão à vista ante 33% querem parcelar. “Esses itens serão escolhidos pelos mais cautelosos, que não querem entrar em crediário”, avalia Burti.

Celulares e smartphones são preferência de 11,9% (14,3% no ano passado), sendo que metade dos entrevistados pagará à vista e metade a prazo.   

CDs/livros/brinquedos (9%) estão empatados com os já citados televisores (9%). Foi registrada queda expressiva no caso dos aparelhos de DVD/outros eletrodomésticos, de 9,5% no ano passado para 3% em 2017.

“Os eletrodomésticos não devem ser o grande vetor de compra a prazo, mas, sim, os televisores”, resume o presidente da ACSP.
O pagamento da segunda parcela do 13º salário deve ocorrer até o dia 20 de dezembro e injetará cerca de R$ 200 bilhões na economia.