Negócios

Dia dos Pais puxa vendas do comércio paulistano


Com mais reaberturas e mais gente circulando, data funcionou como um motivador adicional de compras, que subiram, em média, 28,5% na 1ª quinzena de agosto, segundo o Balanço de Vendas da ACSP


  Por Karina Lignelli 19 de Agosto de 2020 às 14:41

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


Não tão popular quanto o Natal ou o Dia das Mães, o Dia dos Pais deste ano de pandemia ajudou a melhorar o movimento de vendas do comércio paulistano na primeira quinzena de agosto.

A reabertura gradual também ampliou as opções de compra para o consumidor e, com isso, o Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) registrou alta média nas vendas de 28,5% ante igual período de julho.

LEIA MAIS:  No e-commerce, vendas crescem 41% no Dia dos Pais

Com mais atividade e mais gente circulando, a data comemorativa acabou funcionando como um motivador adicional de compras, explica Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Porém, embora o crescimento na primeira quinzena de agosto pareça expressivo, quando se comparam os números aos de 2019, a queda ainda continua forte, com recuo médio nas vendas de 40,3%.

Confecções, calçados e artigos de uso pessoal continuam apresentando menor recuperação, não só pela limitação para provar roupas e calçados, mas também porque, com as pessoas saindo menos, as compras por impulso são afetadas, lembra Solimeo.

“A expectativa é que São Paulo passe para a Fase Verde do plano de flexibilização – o que deve acelerar a recuperação, ainda bastante lenta.”

O economista considera também que o consumidor continua cauteloso, em função da perda de renda e da insegurança no emprego – o que faz com que esse crescimento das vendas continue lento.

“Porém, a retomada será beneficiada com mais atividades funcionando e a ampliação de seis para oito horas nos horários das lojas”, disse Solimeo.

O Balanço de Vendas é elaborado pelo Instituto de Economia da ACSP, com base em amostra fornecida pela Boa Vista Serviços.

FOTO: Karina Lignelli/DC