Negócios

De pintor de vasos a empreendedor digital


Wanderley Cravo é sócio da Doka Comunicação, que opera no segmento de publicações digitais. Entre os clientes, a Azul Linhas Aéreas e o cartunista Maurício de Sousa


  Por Wladimir Miranda 16 de Janeiro de 2019 às 17:14

  | Repórter vmiranda@dcomercio.com.br


A Doka Comunicação, criada há nove anos, fica em uma rua residencial do Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo. O quadro de funcionários é composto por cinco pessoas. Os profissionais, liderados por Wanderley Cravo, 57 anos, formado em publicidade, propaganda e marketing, ostentam um portfólio invejável.

A empresa opera no segmento de publicações digitais interativas, anúncios, catálogos, revistas e desenvolvimento web, para pessoas físicas e jurídicas.

Entre outros trabalhos para empresas de ponta, fez o vídeo institucional da Azul Linhas Aéreas Brasileiras.

A Azul pertence ao empresário David Neeleman, que também é dono da TAP (Transportes Aéreos Portugueses) e de 32% da companhia aérea francesa Aigie Azur.

O faturamento mensal da Doka Comunicação chega aos R$ 25 mil.

Wanderley nasceu na Vila Carrão, também na Zona Leste. O pai, já falecido, era metalúrgico. A mãe, ainda viva, sempre foi do lar. Começou a trabalhar novo. Primeiro, em uma fábrica de vasos. Depois, em feiras livres, fazendo carretos.

“Tudo que eu recebia ia para o meu pai sustentar a casa”, conta.

O primeiro emprego registrado foi aos 15 anos, como office-boy. Ficou seis anos. Saiu porque o dono avisou que a situação financeira havia ficado insustentável. Foi trabalhar em uma rede de farmácias, onde ficou 29 anos.

Foi nesta rede de farmácias que Wanderley descobriu a importância do marketing para uma empresa. E havia descoberto, também, que queria ser um empreendedor digital.

Foi quando reencontrou um velho amigo, Adriano Batista Rodrigues, professor de publicidade e propaganda na Faculdade Cásper Líbero, que tentava transformar a Doka Comunicação em uma empresa estável financeiramente.

"O Adriano me convidou para ser seu sócio. Na ocasião, a Doka tinha só dois funcionários. Ele falou sobre seus planos e eu decidi ajudá-lo na empreitada”, relembra.

A Doka trabalha com comunicação, e o objetivo de comunicar fica bem evidente para quem entra na empresa, com as paredes pintadas nas cores vermelha e azul. Os profissionais que trabalham no setor azul cuidam de folhetos, folders e portfólios. Na parte vermelha, a RDO, Revista Digital Online.

“Temos clientes no Brasil inteiro e também no exterior. Recebemos pedidos para fazer vídeos institucionais, sites e blogs de países africanos, da Europa e de vizinhos da América do Sul”, afirma Wanderley.

A Doka participa de todo o processo para que a pessoa ou a empresa construa seu site e também dá suporte técnico.
Os preços para a viabilização de um site variam de R$ 700,00 a R$ 1 mil mensais.

A empresa também orienta pessoas e empresas sobre a melhor plataforma para impulsionar suas ideias e produtos.

Seus funcionários são capacitados para indicar o melhor caminho nas redes sociais.

Facebook, Instagram e Linkedin são as alternativas para quem quer ser visto. “Cada uma destas redes sociais tem a sua importância. A escolha tem de levar em conta a faixa etária do público que se quer atingir”, diz Wanderley.

Em seu planejamento, um trabalho conjunto com as contabilidades. Uma análise detalhada do mercado deu a ele a certeza de que as contabilidades são uma rica fonte de informações para a sua empresa.

Como um dos primeiros passos para quem quer abrir uma empresa é procurar um escritório de contabilidade, a Doka quer o apoio deste serviço para expandir seus negócios.

“Vamos utilizar o cadastro dos escritórios de contabilidade para reunir os novos empresários. A ideia é conscientizá-los sobre a necessidade de a sua empresa ter uma boa comunicação digital. Colocaremos nossos serviços à disposição deles. Serão palestras gratuitas. O objetivo é dizer a eles que a empresa que estão abrindo precisa de um site, de uma plataforma digital para divulgar suas ideias e produtos”, afirma.

MAURÍCIO DE SOUSA

Recentemente Wanderley foi chamado para dar uma palestra para o grupo do cartunista e empresário brasileiro Maurício de Sousa. Criador da Turma da Mônica e membro da Academia Paulista de Letras, ficou impressionado com o alto nível de conhecimento da turma da Doka.

Wanderley é sócio e conselheiro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e frequentador das palestras e cursos ministrados pela Distrital Tatuapé.

“Participo sempre de palestras ministradas na Distrital Tatuapé. Os cursos sobre empreendedorismo que são realizados lá me ajudam muito. Digo sempre aos empreendedores do bairro para serem sócios da ACSP”, afirmou.

 

IMAGENS: Wladimir Miranda/Diário do Comércio