Negócios

Confiança de serviços sobe em novembro


A confiança de serviços voltou a subir influenciada pela melhora do otimismo do empresário do setor com os próximos meses, de acordo com a FGV


  Por Estadão Conteúdo 29 de Novembro de 2019 às 08:41

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 1,4 ponto na passagem de outubro para novembro, para 95,0 pontos, na série com ajuste sazonal, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV). É o maior nível desde fevereiro passado, quando o ICS ficou em 96,5 pontos.

Em médias móveis trimestrais, o índice teve alta de 0,9 ponto em novembro. O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) do setor de serviços recuou 0,3 ponto porcentual em novembro, passando a 81,7%. A alta de novembro do ICS foi puxada pelas expectativas em relação aos próximos meses.

"A confiança de serviços voltou a subir influenciada pela melhora do otimismo do empresário do setor com os próximos meses. Por outro lado, depois de um expressivo aumento nos últimos cinco meses, a percepção sobre o momento presente apresentou um ligeiro recuo em novembro. Com essa combinação de resultados, o cenário para os próximos meses ainda segue de recuperação gradual do setor e sem expectativas de uma retomada mais robusta no curto prazo", diz a nota divulgada pela FGV.

Na composição entre percepção do momento presente e expectativa com o futuro, o Índice de Situação Atual (ISA-S) recuou 0,9 ponto, para 91,8 pontos, interrompendo a sequência de cinco altas consecutivas, quando acumulou 6,4 pontos no período.

Já o Índice de Expectativas (IES) avançou 3,8 pontos em novembro, para 98,4 pontos, e compensou toda a queda sofrida no mês anterior (3,6 pontos), informou a FGV. Para a entidade, houve descolamento entre as duas componentes a partir da definição das eleições gerais de 2018, que passou a ser revertido de março deste ano em diante.

"A diferença entre o IE-S e o ISA-S atingiu o nível mais alto em fevereiro deste ano, quando a diferença foi de 14,1 pontos. Após esse período, iniciou-se uma aproximação dos dois índices principalmente pelo ajuste das expectativas, acumulando perda de 8,7 pontos de fevereiro a novembro enquanto no mesmo período o ISA-S ganhou 2,5 pontos", diz a nota da FGV.

A coleta de dados para a edição de novembro da Sondagem de Serviços foi realizada entre os dias 1º e 26 do mês, com 1.705 empresas.