Negócios

Como os brasileiros vão gastar o 13º salário


Viagens e presentes estão no topo da lista dos gastos da primeira parcela, de acordo com pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)


  Por Redação DC 09 de Novembro de 2017 às 10:45

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


 

A proporção de brasileiros que pretende gastar a primeira parcela do 13º salário com presentes de fim de ano subiu de 5% para 8,6% entre o ano passado e este.

 

É o que revela pesquisa da Associação Comercial de São Paulo. Já a quantidade de consumidores que planejam viajar com o dinheiro extra saltou de 2,5% para 8,6% no mesmo período.

“Tudo leva a crer que teremos um Natal muito bom e o saco do Papai Noel vai estar mais cheio. As vendas não chegarão próximas às de 2014, último Natal que a gente era feliz, mas poderemos recuperar as perdas do ano passado, se o varejo tiver bom desempenho”, diz Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Ele reforça, contudo, que somente em 2020, na melhor das previsões, o varejo chegará ao nível de 2014.

Em dezembro daquele ano, o Índice Nacional de Confiança (INC) da ACSP/Ipsos registrava otimismo de 148 pontos. No indicador mais recente deste ano, referente a outubro, a confiança do brasileiro, segundo o INC, foi de 73 pontos, nível no campo do pessimismo.

 

 

Na avaliação de Burti, as TVs têm tudo para ser o destaque das vendas de fim de ano em função do fim do padrão analógico e pela proximidade da Copa do Mundo.

 

LEIA MAIS: O Natal chegou antes na 25 de Março

Apesar do aumento na vontade de consumir, a pesquisa mostra que dois terços dos brasileiros ainda vão usar o dinheiro do 13º para pagar dívidas ou poupar (42,9% e 22,9%, respectivamente); praticamente os mesmos níveis do ano passado.

O levantamento ainda indica que os indecisos caíram de 22,5% para 17,1%, o que reforça a tendência de maior consumo nos próximos meses.

A pesquisa foi realizada pelo Instituto Ipsos com 1.200 pessoas em todas as regiões do Brasil entre os dias 1º e 15 de outubro.