Negócios

Como ganhar dinheiro com o reels do Instagram?


Seguindo os passos de outros aplicativos como o TikTok e o Kwai, que já pagam o usuário, o Instagram investe em formas de monetização para se manter atrativo


  Por Mariana Missiaggia 25 de Agosto de 2021 às 06:00

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


Utilizadas por muitos como ferramenta de trabalho, algumas redes sociais já oferecem boas recompensas aos seus usuários pelo engajamento e interação com o aplicativo.

Com milhares de conteúdos reproduzidos a cada minuto, os usuários são surpreendidos com novidades de tempos em tempos. Circula pela internet a informação de que o Instagram, que se lançou como uma plataforma de postagem de fotos e foi evoluindo para um formato em vídeo, vai pagar para que seus usuários utilizem mais suas ferramentas.

A novidade se direciona, especificamente, aos Reels, que permite recursos semelhantes aos de concorrentes diretos de outros aplicativos, como o TikTok e Kwai. Os rumores começaram assim que o desenvolvedor Alessandro Paluzzi revelou em fevereiro deste ano prints que mostram um projeto com esse objetivo.

Tudo indica que o Instagram será uma das primeiras redes sociais a de fato implementar a função de monetização na rotina de seus usuários. 

Confirmando o que até então eram rumores, o Instagram anunciou recentemente que irá investir um bilhão de dólares até o final de 2022 para recompensar quem utiliza a plataforma para criar conteúdo. Esses recursos serão distribuídos em várias opções de monetização dentro da rede, de acordo com a performance de cada material. 

Tomando como base os prints vazados por Paluzzi e anúncios realizados nos Estados Unidos, o Instagram está chamando essa possibilidade de monetização de bonuses, ou em português, bônus.

Uma das imagens divulgadas pelo desenvolvedor diz o seguinte: “Seja pago pelos seus reels, ganhe bônus do Instagram quando você compartilhar novos reels”.

REELS: MAIOR CONCORRÊNCIA

Lançado há pouco mais de um ano na rede social, o reels propõe a produção de vídeos curtos virais dentro do próprio aplicativo - e surgiu, justamente, no período em que o TikTok estava crescendo. 

Dentro do próprio Instagram, o reels permite a gravação de vídeos de no máximo 30 segundos. São oferecidas opções de edição, corte e inclusão de imagens e músicas para composição do conteúdo - tudo feito para viralizar.

Por essa razão, tudo indica que o produtor de conteúdo será remunerado de acordo com sua audiência no reels. E isso não se mede apenas em visualizações. Certamente, o aplicativo levará em consideração também outras formas de engajamento dos vídeos.

Curtidas, compartilhamentos, envios por direct ou para outros aplicativos, comentários, visualizações e itens salvos também deverão entrar nessa métrica - semelhante ao que já acontece no Youtube.

Como tudo que é lançado na plataforma, inicialmente, a monetização só está disponível para os Estado Unidos. Entretanto, o recurso ficará disponível para outros países, especialmente, o Brasil - segundo maior mercado do Instagram.

Muitos usuários brasileiros dizem já ter a atualização disponível no aplicativo em forma de teste - e em outros casos, ela fica disponível por alguns dias e depois desaparece. Tudo para testar e medir a interação dos usuários com a novidade.

Num primeiro momento, a tendência é que o Instagram autorize apenas perfis que estejam enquadrados na política de monetização de parceiros da rede.

COMO USAR O REELS

Disponível para qualquer usuário do Instagram, ao abrir o aplicativo, clique no ícone de “mais” na parte superior da tela. Abaixo, deslize para a direita até encontrar a opção reels para começar a produzir o seu próprio conteúdo.

A opção apresenta ferramentas bastante completas, como inclusão de um áudio próprio ou de terceiros e, também, músicas que estão no Spotify.

Além disso, há a opção de acelerar o tempo do vídeo, realizar cortes, montagens e, também, aplicar filtros - assim como nos stories.

Uma das formas de aumentar o alcance de cada vídeo e principalmente tentar viralizar o conteúdo é escolher um áudio ou música que esteja fazendo sucesso no momento, e produzir conteúdos com essas canções de fundo.

Também é importante ficar atento aos temas e conteúdos que estejam em alta em outros reels. Coreografias e dublagens sempre acabam viralizando e ganhando novas interpretações. E embora não se trate de algo totalmente original, é uma forma de viralizar.

Por fim, vale lembrar que como em todos os recursos do aplicativo, a métrica do Instagram define o alcance dos conteúdos do usuário não apenas conforme o engajamento, mas também pela constância. Ou seja, quem produz reels com maior frequência, tem mais chance de que ele chegue a um número maior de pessoas.

 

FOTO: Pixabay






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade