Negócios

Como a Via Varejo está lidando com a queda nas vendas


Controladora da Casas Bahia e do Ponto Frio implementou medidas para reduzir sua estrutura de custos: otimização de gastos com aluguéis, marketing, frete, além de fechamento de lojas deficitárias


  Por Estadão Conteúdo 28 de Julho de 2015 às 12:31

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


A Via Varejo reportou prejuízo líquido de R$ 13 milhões no segundo trimestre de 2015, revertendo o lucro líquido de R$ 187 milhões registrado no mesmo período do ano passado.

No acumulado do primeiro semestre, o braço de eletroeletrônicos do Grupo Pão de Açúcar (GPA) teve lucro de R$ 226 milhões, retração de 31,8% ante igual intervalo de 2014.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Via Varejo entre abril e junho foi de R$ 240 milhões, recuo de 51,4% na comparação anual.

A Via Varejo informou que fechou algumas lojas no segundo trimestre de 2015 que tinham altos custos operacionais, reduziu gastos com marketing e promoveu cortes de pessoal para atravessar um trimestre ruim para o setor.

Em sua divulgação de resultados, a empresa reportou fechamento de oito lojas no segundo trimestre, sendo sete da bandeira Pontofrio. Esse efeito foi compensado por 18 aberturas de loja, todas da Casas Bahia.

A companhia informou que, para "mitigar a contração do setor no trimestre", implementou uma série de medidas adicionais para reduzir a estrutura de custos, como otimização dos custos com aluguéis, marketing, frete, além de fechamento de lojas deficitárias. Também a Via Varejo iniciou um processo de conversão de lojas Pontofrio em Casas Bahia.

CONVERSÕES

Foram feitas 36 conversões de Ponto Frio para Casas Bahia até o início de julho. O Pontofrio tem apresentado um desempenho de vendas pior na comparação com as Casas Bahia.

No acumulado do primeiro semestre deste ano, as vendas no Pontofrio caíram 16,3% na comparação com igual período de 2014, chegando a R$ 2,149 bilhões.

Nas Casas Bahia, a queda foi de 10,2% para R$ 7,528 bilhões. A empresa afirmou ainda que promoveu adequação de "headcount". A Via Varejo encerrou o segundo trimestre de 2015 com 61,407 mil funcionários, redução de 4,797 mil na comparação com o primeiro trimestre.

As posições foram cortadas em lojas, montadores, centros de distribuição e administrativo. Despesas A Via Varejo reduziu despesas operacionais na comparação anual em 5,5%, para R$ 1,181 bilhão.

A queda de receita no período, porém, foi mais acentuada. Com isso, as despesas operacionais totais passaram a representar 27,3% da receita de vendas, 4,7 pontos porcentuais a mais do que no mesmo período do ano passado.

Com esse efeito, a margem Ebitda da companhia caiu, saindo de 8,9%, para 5,5% apesar de um ganho de 1,1 ponto porcentual na margem bruta na mesma comparação, ficando em 32,5%. A companhia mencionou em sua divulgação de resultados que a queda de vendas e a alta inflação acumulada no período impactaram a diluição das despesas fixas.

FOTO: Estadão Conteúdo