Negócios

Comércio varejista cresce 1% em julho


Resultado do IBGE surpreendeu especialistas. A previsão mais otimista era de alta de 0,8%. A mais pessimista indicava uma queda de 1,7%


  Por Estadão Conteúdo 11 de Setembro de 2019 às 09:24

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


As vendas do comércio varejista surpreenderam e cresceram, em julho, acima do esperado pelos analistas do mercado financeiro.

O varejo teve uma alta de 1,0% em julho ante junho, na série com ajuste sazonal, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A previsão mais otimista era de alta de 0,8%. A mais pessimista indicava uma queda de 1,7%, gerando mediana positiva de 0,1%. Na comparação com julho de 2018, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 4,3% em julho de 2019, variação igualmente bem superior à estimativa mais positiva dos analistas.

Nesse confronto, as projeções iam de uma queda de 0,9% até uma elevação de 3,5%, com mediana positiva de 2,2%. As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 1,2% no ano.

No acumulado em 12 meses, houve avanço de 1,6%. Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 0,7% em julho ante junho, na série com ajuste sazonal.

O resultado também veio acima do teto do intervalo das estimativas dos analistas que esperavam desde um recuo de 2,2% a uma alta de 0,4%, com mediana negativa de 0,6%. Na comparação com julho de 2018, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 7,6% em julho de 2019.

Nesse confronto, as projeções variavam de um avanço de 2,1% a 6,7%, com mediana positiva de 4,3%. As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 3,8% no ano. Em 12 meses, o resultado foi de avanço de 4,1%.

MÉDIA MÓVEL TRIMESTRAL

O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito teve alta de 0,5% em julho de 2019. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o índice de média móvel trimestral das vendas registrou elevação também de 0,5% em julho.