Negócios

Comércio do interior paulista aposta no Dia das Mães para alavancar vendas


Associações comerciais realizam promoções e sorteios para ajudar a elevar o faturamento dos lojistas. Alta nas vendas pode chegar a 20%, estima ACSP


  Por Karina Lignelli 07 de Maio de 2021 às 15:29

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


A flexibilização gradual das medidas restritivas deve dar novo fôlego para o comércio paulista neste Dia das Mães. de acordo com um levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a expectativa para a data é de crescimento de 20% nas vendas ante igual data de 2020, segundo o economista Marcel Solimeo. 

O aumento da circulação de pessoas deve ajudar a puxar a alta no faturamento do setor, que deve atingir R$ 4,46 bilhões neste ano no Estado de São Paulo. O valor estimado é 56,5% superior ao de 2020, e o maior desde 2014, segundo projeções da Confederação Nacional do Comércio (CNC). 

LEIA MAIS:  Com pandemia, delivery de refeição virou presente de Dia das Mães

Como estratégia para alavancar as vendas na segunda data mais importante para o varejo no ano, promoções, sorteios e até campanhas para comprar no bairro ou na cidade serão algumas das iniciativas de associações comerciais ligadas à Federação da Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) para o Dia das Mães. A seguir, confira as expectativas e iniciativas de algumas delas: 

CAMPINAS  

Com a flexibilização de horários, o comércio da Região Metropolitana de Campinas (RMC) deve faturar 14% a mais do que no Dia das Mães de 2020, com movimentação financeira nas vendas físicas de R$ 211,5 milhões. No e-commerce, a projeção é de alta de 25,5%, atingindo R$ 197,4 milhões. 

A estimativa é do Departamento de Economia da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), que também fez um levantamento sobre a intenção de compra dos consumidores locais.   

Na avaliação do economista da ACIC, Laerte Martins, com o achatamento do poder de compra causado pela pandemia, o valor médio do presente será de R$ 240, alta de 4,35% sobre os gastos de 2020. 

Os segmentos mais procurados nas vendas físicas devem ser, principalmente, perfumaria, vestuário, calçados e flores. Nas vendas digitais, a preferência aponta para os eletroeletrônicos, celulares e notebooks.

No ano passado, o Dia das Mães na RMC registrou perdas de 54,2% ante igual período de 2019.

FRANCA  

Uma pesquisa do Instituto de Economia da Associação Comercial e Industrial de Franca (ACIF) aponta que 79% dos francanos irão presentear neste Dia das Mães. Desse total, 55,5% pretendem gastar até R$ 100. Outros 35,4% vão investir entre R$ 100 e R$ 200 e 9,1%, mais de R$ 200.

A pesquisa revelou, ainda, que os fatores que mais influenciarão as compras da data são promoções e ofertas (37,18%), atendimento (21,15%), preço dos produtos (18,59%), diversidade (12,82%) e ponto de venda (10,26%). Os itens mais procurados serão roupas (22,44%), perfumes (20,51%) e calçados (14,1%).

Tarciso Bôtto, presidente da ACIF, afirma que a pesquisa revela ainda que 89,47% dos comerciantes estão otimistas, e 42% esperam alta superior a 20% nas vendas. "Diferente de 2020, a volta do atendimento presencial no comércio surtiu um efeito positivo em relação às expectativas para a data."

JALES

Horário especial e sorteios devem impulsionar o comércio da cidade. Com isso, a expectativa para a data é de aumento de 3% a 5% nas vendas ante igual período do ano passado, segundo estima Leandro Rocca, presidente da Associação Comercial e Industrial de Jales (ACIJ). 

“Estamos em recuperação econômica e nosso comércio está preparado, com estoque cheio e variedade de produtos. Aqui, o consumidor encontra de tudo, então esperamos os clientes de toda a região”, afirma. 

Nesta sexta, as lojas atendem até as 20h, e no sábado, até as 16h. Quem postar uma foto com o presente da mãe e marcar a ACIJ no Facebook ou Instagram com a hashtag #compreemjales, pode concorrer a R$ 3,5 mil em vale-compras no total. Serão 12 consumidores sorteados, e a promoção vai até este sábado (08/05).

LIMEIRA 

Para ajudar a alavancar as vendas do comércio local nesse Dia das Mães, a Associação Comercial e Industrial de Limeira (ACIL) apostou na campanha digital 'Compras Premiadas - Sua Mãe Vale Muito". 

Nela, os consumidores que comprarem de lojistas associado, e fizerem o download do app da ACIL, poderão cadastrar os cupons via QR Code para concorrer a 10 vales-compra de R$ 500 cada. 

Mesmo sem projeções de crescimento nas vendas para a data, José Mário Bozza Gazzetta, presidente da ACIL, reforça que a intenção com a campanha é de auxiliar os empresários locais em uma retomada para 2021. 

Gazetta lembra que essa é a segunda melhor data para vendas e campanhas promocionais no ano. Ele diz que suas expectativas são positivas. "As lojas estão preparadas para atender o consumidor de Limeira com bons produtos e promoções, e todos estamos torcendo para que haja uma reação a contento", destaca.

MARILIA  

Com as restrições determinadas pelo governo de São Paulo por conta da evolução da pandemia, nesse Dia das Mães o comércio de Marília agora corre atrás do prejuízo buscando a recuperação financeira.

Em razão do abre-e-fecha do comércio, não sobrou muito tempo para os comerciantes da cidade se prepararem para a data, segundo Adriano Luiz Martins, presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília (ACIM) e vice-presidente da Facesp. 

"Sabemos que o comércio não é culpado, mas temos que funcionar com o máximo de atenção, nos tornando agentes sanitários voluntários, exigindo máscara facial, higienização pessoal e local e distanciamento", diz. 

Mas mesmo assim, a situação atual é melhor que a do ano passado, quando o comércio fechou totalmente, afirma Martins. Ele acredita que, se as vendas crescerem entre 3% e 5%, será uma grande conquista.

"Porém, esta situação nos deixa bem inseguros, já que o parâmetro comparativo será mais entre as vendas on-line e as vendas, agora, nas lojas físicas", acredita. 

POMPEIA 

Por conta do abre-e-fecha do comércio, e das perdas financeiras causadas pela pandemia, a cidade optou por funcionar apenas um dia em vez de dois, ou seja, nesta sexta-feira (07/05), para o Dia das Mães. 

Mas, mesmo que isso não interfira muito no volume de vendas, o fato de as lojas estarem abertas durante o dia já deve fazer uma diferença e tanto, diz Rinaldo José Traskini, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Pompeia: em 2020, o comércio amargou o fechamento completo, prejudicando suas finanças. 

"Acredito que iniciamos um novo ciclo, mas a incerteza prejudica qualquer planejamento", afirma. "O lojista não tem dinheiro suficiente para agir como antes: ou ele paga as contas, mesmo não tendo a receita adequada, ou investe em produtos para tentar vender, sem saber se a loja estará aberta ou fechada."

Mesmo nesse cenário, Traskini diz que, se houver uma elevação de 5% nas vendas ante 2020 será excelente. "Qualquer oportunidade de respiro financeiro é boa para qualquer loja", afirma. 

SANTO ANDRÉ 

Um Dia das Mães bem otimista, com alta de até 25% nas vendas em comparação a 2020. Essa é a projeção da Associação Comercial e Industrial de Santo André (Acisa), que se baseia no fato de o comércio estar passando por uma maior flexibilização de horários de funcionamento - situação diferente do ocorrido no ano passado. 

“A pandemia ainda impõe restrições e, por isso, acreditamos que o maior volume de vendas deva ocorrer por meio do e-commerce e os itens mais procurados deverão ser aqueles que não precisem de trocas, como eletroportáteis, celulares, flores, perfumes e acessórios”, prevê o presidente Pedro Cia Junior.

Para ajudar os comerciantes a alavancar vendas, a Acisa acaba de lançar um e-book gratuito com várias informações e dicas de como utilizar plataformas digitais para promover negócios. Também está com ação para o incremento do comércio local com a campanha 'Compre em Santo André, Prestigie Seu Bairro'.

SÃO BERNARDO DO CAMPO

Avaliando o comportamento do consumidor, Valter Moura, presidente da Associação Comercial e Industrial de São Bernardo do Campo (Acisbec) e vice-presidente da Facesp, afirma que, neste Dia das Mães do segundo ano de pandemia, qualquer previsão ainda exige cautela. 

"No entanto, se compararmos com 2020, a expectativa é de alta de 15%, já que, na mesma época, o comércio estava fechado. Já em comparação a 2019, a previsão é de que as vendas cresçam 8%", sinaliza. 

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 

Mesmo sem projeção de crescimento nas vendas, a expectativa do comércio da cidade para o Dia das Mães é otimista, segundo pesquisa da Associação Comercial de São José dos Campos feita em parceria com a Universidade de Taubaté (Unitau), por intermédio do Nupes (Núcleo de Pesquisas Econômico-Sociais)

Segundo o levantamento, 72,2% dos consumidores planejam comprar presentes para a data, índice semelhante, dentro da margem de erro, ao registrado em 2019 (77,5%) e superior ao de 2018 (66%).  

O ticket médio deve ficar em torno de R$ 50 a R$ 100 para 38,46% dos entrevistados, 24,62% preveem gastos de R$ 101 a R$ 200, e 26,16% esperam gastar acima de R$ 201. Gastar abaixo de R$ 50 está nos planos de 10,77% dos consumidores ouvidos pela pesquisa ACI/Unitau.

Eliane Maia, presidente da ACI SJCampos, afirma que os números dessa nova pesquisa apontam para uma reação da economia após um período crítico para o comércio e um otimismo do consumidor.

“E neste ano, em especial, a data cresce em importância pelo comércio ter passado o Dia das Mães de 2020 de portas fechadas”, acredita. No ano passado, a ACI SJCampos não realizou a pesquisa por conta da quarentena. 

SOROCABA  

Sugestões de presentes com até 30% de desconto, disponíveis no Clube de Compras, vitrine digital da Associação Comercial de Sorocaba (ACSO). Essa será a estratégia para ajudar a puxar as vendas do comércio local neste Dia das Mães, com expectativa de que as vendas na cidade para a data cresçam 2%.  

A projeção otimista é de um levantamento da ACSO em parceria com a ATHON Ensino Superior, que aponta que a maioria dos entrevistados (53%) pretende presentear suas mães, esposas, sogras e avós. 

Em relação aos presentes, 61% irão optar por itens de vestuário, calçados e acessórios, seguido por perfumes, cosméticos e chocolates. O ticket médio será de R$ 90, valor maior que o do ano passado.

Outro ponto levantado na pesquisa foi a cultura do consumidor sorocabano de deixar os presentes para a última hora: 64% afirmaram comprar na semana que antecede a data, e apenas 11% já tinham comprado.

 

FOTO: iStock






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade