Negócios

Comerciantes estão otimistas com vendas para o Dia dos Namorados


Expectativa é que consumidores intensifiquem as compras nesta segunda-feira


  Por Wladimir Miranda 09 de Junho de 2017 às 18:10

  | Repórter vmiranda@dcomercio.com.br


Descontos de até 30% em alguns setores do comércio – como o de livros – contribuem para alimentar as expectativas dos comerciantes de que as vendas de presentes para o Dia dos Namorados aumentem nesta segunbda-feira.

A data, comemorada na segunda-feira, 12 de junho, leva muitos clientes às lojas. Afinal, trata-se de uma das mais importantes do calendário, perdendo apenas para o Natal e Dia das Mães.

Alguns lojistas começaram a perceber na quinta-feira um aumento de consumidores em seus estabelecimentos.

Lúcio Barbosa da Silva, gerente da Global Shoes, rede de lojas de sapatos masculinos e femininos, da rua 25 de março, já tomou as providências para não ser surpreendido com o provável aumento de consumidores em seu estabelecimento.

“Contratei mais cinco vendedores. Nos últimos dias o movimento aumentou mais de 10%. Tenho certeza de que neste fim de semana teremos um aumento nas vendas”, disse.

SILVA , DA GLOBAL SHOES, CONTRATOU MAIS CINCO VENDEDORES PARA ATENDER OS CLIENTES

A Global Shoes da 25 de março se preparou para abrir neste sábado (10/06), das 9hs às 18hs, e no domingo, das 9h às 15hs.

O gasto médio dos consumidores na Global Shoes é de R$ 150,00. Lá, há sapatos cujos preços variam de R$ 50,00 a R$ 300,00.

Na Mundial, outra rede de lojas de sapatos masculinos e femininos, os comerciantes acreditam que as horas que antecedem à data farão com que os clientes apareçam. Para isso, contam com um grande chamariz: sapatos e bolsas femininos.

“Todos sabemos que as mulheres adoram sapatos e bolsas. O namorado que quiser presentear a namorada com um bom sapato, pode vir. Temos ótimas ofertas”, disse Paulo Roberto de Oliveira, gerente há oito meses da filial da rua 25 de março. Os preços na Mundial variam de R$ 50,00 a R$ 700,00.

A aposta na maioria das lojas de bijuterias da região da 25 de março é no público de poder aquisitivo mais baixo. Comerciantes como Rodrigo Pereira Sampaio, proprietário da Lia Bijoux, fazem figa para que Santo Antônio, o ‘santo casamenteiro’ faça aumentar as vendas.

“Até agora não temos o que comemorar. Vendemos pouco. Mas vai melhorar. Tenho fé”, diz.

Quem quer comprar uma lembrancinha para a namorada sem gastar muito, encontra bijuterias com preços que variam de R$ 0,99 a R$ 6,00.

COMERCIANTES DA RUA 25 DE MARÇO ESPERAM UM GRANDE MOVIMENTO NESTE FIM DE SEMANA

A Saraiva, rede de livrarias, fez uma promoção alusiva à data. A loja da Rua São Bento estampa logo na entrada cartazes anunciando obras sobre vários assuntos e de diversos autores, com 30% de desconto.

“Resolvemos apostar no desconto. E até agora tivemos um bom retorno nas vendas. Esperamos que o movimento aumente ainda mais”, disse a gerente Mirtes Maria.

LIGEIRA ALTA NAS VENDAS

Para Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), haverá uma ligeira alta nas vendas do varejo.

“Esperamos um leve crescimento no comércio em relação ao ano passado. Esse cenário pode se tornar possível devido a três fatores principais: a queda dos juros, o aumento da massa salarial e a diminuição das temperaturas”, disse Burti.

Ele avalia que o recente anúncio de corte na taxa básica de juros pode influenciar o comportamento dos consumidores, levando-os às compras parceladas de produtos de maior valor. 

Segundo o presidente da ACSP e da Facesp, o aumento dos salários, propiciado pelo alívio inflacionário também pode colaborar para que os trabalhadores se animem para as compras à vista de produtos de menor valor, como bijuterias, cosméticos e roupas.

A queda das temperaturas também, de acordo com Burti, provavelmente beneficiará as vendas de produtos da moda outono-inverno.

FOTOS: Wladimir Miranda/Diário do Comércio