Negócios

Com Carnaval, vendas devem subir 3% na capital paulista


Estimativa é da ACSP, que avalia que a alta será impulsionada pelo aumento da quantidade de turistas. Evento deve atrair 15 milhões de foliões em 678 desfiles, de acordo com a Prefeitura de SP


  Por Redação DC 14 de Fevereiro de 2020 às 14:42

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O Carnaval de rua da capital paulistana crescerá 38,5% em 2020 e espera reunir 15 milhões de foliões em 678 desfiles aprovados e publicados no Diário Oficial de São Paulo, informou nesta sexta-feira (14/11) a Prefeitura de São Paulo. O evento não para de crescer, e nos últimos cinco anos a quantidade de desfiles aumentou 91,2%. 

Há uma semana do evento que já começa a movimentar a cidade, a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) estima crescimento de 3% no movimento das vendas de Carnaval na capital paulista neste ano ante 2019.

“O Carnaval de rua da capital tem crescido ao longo dos anos, atraindo cada vez mais turistas e revertendo o esvaziamento da cidade neste período. Com isso, a festividade deve impulsionar as vendas de roupas, fantasias, calçados, maquiagens e adereços, que são artigos de menor valor, geralmente pagos à vista, e que impactarão positivamente o resultado do varejo”, diz Marcel Solimeo, economista da ACSP. 

COLOCANDO O BLOCO NA RUA

Para atender à demanda, a Prefeitura criou uma comissão intersecretarial que reúne as secretarias de Cultura, Turismo, Subprefeituras, Saúde, Segurança Urbana, Mobilidade e Transportes, Comunicação, Direitos Humanos e Cidadania, Licenciamento e Desenvolvimento Urbano. 

Entre as muitas marcas do Carnaval de Rua 2020, o valor de patrocínio direto, computado em R$ 21,9 milhões, representa um recorde no Brasil. Em 2019, R$ 16,1 milhões foram injetados pelo patrocinador na festa.

A estrutura também cresce e o número total de banheiros disponíveis já é 80% maior que no ano anterior. Serão 20 postos médicos montados nos pontos de maior tráfego de foliões. Uma novidade desta edição é que, ao lado de cada um dos postos médicos, serão montadas pela Prefeitura Tendas de Acolhimento, uma ação conjunta
das secretarias da Cultura, Saúde e Direitos Humanos. Nas tendas haverá os chamados “anjos” e “anjas” (voluntários para atuar contra o assédio nos desfiles), advogadas, psicólogas e assistentes sociais.

Em 2020, a cidade de São Paulo vai contar com 13 circuitos principais: Av. Marquês de São Vicente, Av. Eng. Luis Carlos Berrini, Av. Brigadeiro Faria Lima, Av. Tiradentes, Rua da Consolação, Centro Novo (República), Av. Dumont Villares, Parque Ibirapuera, Av. Paulo VI (na altura do Sumaré), Av. Hélio Pelegrino (na altura de Pinheiros), Av. Hélio Pelegrino (na altura da Vila Mariana), Rua Henrique Schaumann e Largo da Matriz, na Freguesia do Ó.

FOTO: Fernando Frazão/Agência Brasil