Negócios

Black Friday deve gerar 5,8 milhões de compras


Garantir uma boa experiência de compra durante o evento pode trazer benefícios para os lojistas e aumentar o número de clientes que voltarão a fazer compras em outros momentos do ano


  Por Redação DC 27 de Novembro de 2019 às 14:18

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


A data mais esperada do varejo brasileiro se aproxima: nesta sexta, dia 29 de novembro de 2019, acontece no país mais uma edição da Black Friday. O evento, originalmente americano e que desembarcou no Brasil em 2010, já se consolidou no calendário comercial e oferece milhares de descontos em produtos e serviços.

As ofertas tomam conta das lojas físicas e sobretudo do e-commerce. Segundo projeção da consultoria Compre & Confie, as vendas no comércio eletrônico devem aumentar 19% em relação ao mesmo período do ano passado, movimentando em 2019 aproximadamente R$ 3,5 bilhões.

“Com base em pesquisas podemos constatar que grande parte dos consumidores optaram esse ano por planejar suas compras muito antes de novembro chegar, realizando pesquisas sobre o produto e, principalmente, a variação de preços antes do evento, reflexo da black fraude”, pontua o fundador da consultoria DocLuz e CEO da TOTVS Virtua, Tiago DocLuz.

MODA E BELEZA

A projeção compreende o período entre os dias 28 e 29 de novembro e um volume maior de compras do que no anterior, visto que os preços estão mais baixos e devem gerar mais interesse de compra. Devem ser gerados em média 5,8 milhões de pedidos, com tíquete médio de R$ 600.

Ocupam o top 5 de itens mais desejados pelo consumidor os produtos eletrônicos (51%), telefonia (35%), informática (28%), moda e acessórios (24%) e eletrodomésticos (23%). Segundo a consultoria Promobit, as três categorias que mais ofereceram ofertas na Black Friday 2018 foram perfumes e beleza, moda e calçados masculino, e moda e calçados femininos, respectivamente.

Os maiores descontos médios por categoria ficaram com livros, eBooks e eReaders; eletrodomésticos; informática; câmeras, filmadoras e drones; eletrônicos, áudio e vídeo; relógios e jóias; e smartphones.

O e-commerce Francisca Jóias, especializado em semijoias e acessórios contemporâneos, se prepara para ampliar o faturamento em relação ao evento do ano passado. Para facilitar o acesso à loja virtual durante a Black Friday, a empresa colocou no ar um novo site mobile, de navegação muito simples mesmo para quem não possui tanta intimidade com o ambiente digital.

“É um novo site em que é possível navegar sem dificuldades. Temos também um sistema de trocas onde a própria cliente faz tudo sozinha sem precisar falar com terceiros. Leveza, clareza e agilidade foram os principais tópicos que inspiraram as funcionalidades do novo site da Francisca”, relata Sabrina Nunes, diretora da empresa.

PROMOÇÕES O MÊS INTEIRO

Como já é hábito nas edições da Black Friday, diversos lojistas já iniciam as promoções antes mesmo da data oficial. Além de atrair mais compradores, a estratégia também busca pulverizar as compras e os pedidos, facilitando a logística de envio.

Ficar de olho na variação de preços dos produtos desejados é uma das principais formas de garantir preços baixos e aproveitar as promoções o mês inteiro - já aproveitando a ocasião inclusive para adiantar parte das compras de Natal.

Garantir uma boa experiência de compra durante o evento pode trazer benefícios para os lojistas e aumentar o número de clientes que voltarão a fazer compras em outros momentos do ano além da Black Friday, seja no varejo físico, seja no ambiente virtual.

“O mais importante nesse momento é se preparar para a data. Garantir uma plataforma com boa estabilidade, facilidade na navegação, qualidade na entrega etc”, diz o CEO da consultoria Dr. e-commerce, Thiago Sarraf.

CUIDADOS COM AS COMPRAS PROTEGEM O CONSUMIDOR

Importante o consumidor redobrar o cuidado com as compras nesse período, evitando assim cair em golpes e ter prejuízos “O cliente precisa pesquisar bem as lojas em que pretende comprar e, principalmente, o preço dos produtos.

Por isso, buscar referências da loja na internet e experiências reais de pessoas que compraram fazem toda diferença. Isso minimiza muito o risco de fraude, não recebimento do produto adquirido e outros problemas que infelizmente acontecem durante a data.”, finaliza o empresário e sócio da Dassi Boutique, Danilo Costa.