Negócios

Alckmin deve abrir encontro de empresários maçons


Grão-mestres das principais lojas da maçonaria paulista estiveram na ACSP para organizar o Lema, 1º Encontro de Negócios de Lideranças Empresariais Maçônicas, que acontece dia 26 de fevereiro


  Por Wladimir Miranda 23 de Janeiro de 2018 às 19:00

  | Repórter vmiranda@dcomercio.com.br


Os pequenos e médios empresários demonstram, pelo menos até esta terça-feira (23/01), que são os mais interessados no 1° Encontro de Negócios de Lideranças Empresariais Maçônicas – Lema -, que será realizado dia 26 de fevereiro, a partir das 17 horas, no salão nobre do Clube Atlético Juventus, na Mooca, em São Paulo.

O Governador Geraldo Alckmin foi convidado para fazer a palestra inaugural do evento. As inscrições continuam abertas. As informações sobre o evento estão no site do evento.

O 1° Lema vai reunir, pela primeira vez, as três maiores lideranças da maçonaria do estado. Estarão lá a Grande Oriente Independente de São Paulo, a Grande loja Maçônica do Estado de São Paulo e a Grande Oriente São Paulo.

Pascoal Marracini, Kamel Aref Saab e Ronaldo Fernandes, grão-mestres das três potências, receberam a imprensa para falar do encontro na Associação Comercial de São Paulo (ACSP). A entidade, representada pelos vice-presidentes Roberto Mateus Ordine e João Bico, que também é membro da Secretaria Estadual de Relações Públicas do Grande Oriente São Paulo, é uma das organizadoras do evento, assim como a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

A ideia inicial era fazer um encontro de empresários maçônicos da cidade de São Paulo. Mas o Lema começa a ganhar proporções nacionais e internacionais. “Temos recebido inscrições de outros estados e do exterior”, diz João Bico.

O dinheiro arrecadado nas inscrições e também com as verbas dos patrocinadores será doado para quatro instituições beneficentes de São Paulo.

Os maçons estão presentes no cenário político atual, do Brasil e do mundo. Em São Paulo, existem 800 lojas da maçonaria, duas mil em todo o estado. São 80 mil maçons no Estado de São Paulo e 350 mil no país.

Maçons e não maçons poderão entrar no salão nobre do Juventus no dia do evento. Mas só poderão participar das rodadas de negócios, maçons, esposas de maçons e filhos de maçons.

“O evento tomou proporções maiores do que imaginamos quando tivemos a iniciativa de criá-lo. Estamos alcançando o objetivo de gerar empregos, receitas e desenvolvimento para o nosso país”, afirmou João Bico.

As três lideranças da maçonaria do estado e a ACSP terão direito a indicar convidados, que não vão poder participar das rodadas de negociação.

São esperados mais de mil empresários maçônicos para as rodadas de negociação.

“O 1º Lema visa trabalhar para a recuperação da economia do estado. São lideranças empresariais maçônicas que terão a oportunidade de aumentar suas possibilidades de negócios. Vamos contribuir para acabar com este marasmo que domina a economia brasileira. Ou seja, se a gente quer, a gente faz”, disse Kamel Aref Saab, Grão-Mestre do Grande Oriente de São Paulo.

Pascoal Marracini, Grão-Mestre do Grande Oriente Paulista, também lembrou que a economia brasileira passa por um período difícil e que os maçons estão dando “um exemplo para os poderes públicos de que com criatividade e iniciativa é possível abrir oportunidades. E o número de inscrições até aqui de pequenos e médios empresários serve para lembrar que são eles que alavancam a economia do país”.

O Grão-Mestre Ronaldo Fernandes ressaltou a importância de as três grandes potências da maçonaria estarem juntas pela primeira vez em um grande evento. “Esta união mostra que o 1º Lema já nasce vitorioso”, disse.

IMAGEM: Wladimir Miranda