Negócios

A loja física vai acabar? Essas marcas mostram que não


Inauguradas em tempos de pandemia, as novas lojas da Dengo (foto acima), Natura e do grupo Fasano estão repletas de experiências e exemplos de transformação do varejo que motivam os consumidores a comprar offline


  Por Mariana Missiaggia 04 de Março de 2021 às 07:00

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


O que te motiva a ir a uma loja física? O receio de comprar pela internet já não é mais uma resposta válida.

Por necessidade e urgência, os consumidores descobriram o e-commerce e seu viés prático e seguro para fazer compras. De forma inesperada, muitos negócios precisaram se reinventar como única opção de sobrevivência.

Ainda à espera da vacina, muitos consumidores já retomaram sua rotina de consumo e fica cada vez mais claro o desejo por comprar pessoalmente - inclusive, como forma de entretenimento. Nesse novo cenário, cabe a loja física, mais do que nunca, mostrar um propósito para sua existência.

Novas experiências, lojas prestadoras de serviços, atendimento de qualidade, personalização e espaços instagramáveis surgem como diferenciais para trazer as pessoas para dentro da loja.

Marca brasileira de chocolates premium, a Dengo criou um novo conceito de loja chocolateria no país. As lojas da Dengo foram projetadas com um conceito inovador – com base em madeira, marcenaria sofisticada, piso rústico, iluminação quente e muito vidro, lembrando a ambientação de uma joalheria. São as grandes vitrines de vidro que expõem os chocolates como verdadeiras joias. 

Focada em chocolates e cafés especiais, a marca lançada em 2017, tem como bandeira a aproximação de produtor e consumidor e só utiliza ingredientes nacionais, através de práticas sustentáveis e valorização dos produtores locais - a Dengo afirma pagar até 70% a mais do que o mercado para os produtores de cacau.

Com 19 lojas de shoppings em quatro estados brasileiros, a Dengo lançou uma espécie de loja-conceito, na avenida Faria Lima, em São Paulo, no fim de 2020. Seguindo o mesmo padrão de produtos de alta qualidade, lojas bem decoradas e atendimento diferenciado, a marca criou um novo espaço de 1,5 mil metros quadrados unindo as maiores tendências quando falamos em varejo de experiência.

A proposta é estimular os cinco sentidos de quem visita a loja de três andares com toda a linha de produtos da marca, além de um andar dedicado ao food service, com cafés especiais, drinks com cacau, sobremesas exclusivas e um cardápio inspirado na alta gastronomia brasileira. A loja também oferece bombons de sabores exclusivos e a primeira sorveteria da Dengo.

TUBULAÇÃO DE GRÃOS APARENTE PASSA POR TODA A LOJA

Máquinas mostram todo o processo de produção dos chocolates e guiam alguns dos tours que acontecem com hora marcada, em que é possível conhecer o passo a passo da transformação do cacau no formato de chocolate que compramos - em diferentes tipos: nibs, bombons, barras e outros, com direito a degustação. Em meio a esse tour, o visitante passa pela clássica máquina de moagem cheia de chocolate derretido.

Seguindo esse clima de fábrica de chocolate com uma loja bem interativa, a unidade da Faria Lima tem um espaço dedicado às crianças com oficinas em que elas montam a sua própria barra de chocolate. Adultos também podem participar. Funciona assim: o cliente escolhe entre a barra de 40g ou 80g, entre R$ 28 e R$ 32, seleciona os toppings de uma seleção de frutas secas e castanhas, escolhe o tipo de chocolate entre quatro opções que variam em intensidade e até o formato da forma.

Enquanto o processo acontece e a barra ganha um formato exclusivo, ainda é possível personalizar a embalagem com uma foto ou mensagem, escolher cores, fitas e laços. 

Há ainda uma “biblioteca do chocolate”, espaço dedicado a livros e chocolates especiais de marcas parceiras que também valorizam os pequenos produtores brasileiros. Seguindo a tendência de loja experiência, a unidade também oferece workshops com hora marcada que vão desde degustação e harmonização de chocolates com queijo e vinho até oficinas infantis que ensinam, de forma lúdica, para as crianças como funciona o processo de fabricação do chocolate.

A CURADORIA DA SELEZIONE FASANO

Depois de abrir 7 hotéis e 25 restaurantes, o Grupo Fasano deu vida a um projeto que tem a cara da marca: o Selezione Fasano, um empório de 230 metros quadrados cheio produtos para todo tipo de invenção gastronômica, no CJ Shops, na Rua Haddock Lobo, em São Paulo.

São 800 produtos com assinatura Fasano, como, massas, molhos, azeites, vinhos e outras iguarias - uma curadoria que também abrange uma linha de produtos para casa com peças que vão de velas, mantas, pijamas, poltronas, mesinhas, e uma seleção de produtos já conhecidos pelos hóspedes e clientes da rede, até itens inéditos - tudo inspirado no estilo e identidade da marca.

EMPÓRIO FASANO TRAZ CURADORIA DE 800 PRODUTOS

A ideia é possibilitar que as pessoas reproduzam em casa a experiência oferecida em seus estabelecimentos. Ou seja, quem visitar o novo empório terá a sensação de estar entrando em um dos lobbies dos hotéis da rede. 

Materiais como madeiras, couro, taipa e tijolos remetem a identidade da rede e criam um ambiente acolhedor e convidativo para uma experiência inédita de compra. Com 20 metros de fachada total e 6 metros de porta de entrada, a loja estampa grandes estantes modulares e longas mesas com todos os produtos selecionados.

Uma vitrine especial para exposição dos vinhos e geladeira ganham destaque na seção de alimentos e bebidas. Grandes luminárias estão posicionadas na entrada da loja e direcionam a luz perfeita para as poltronas, tapete e mesinhas, dentre outros móveis e outros produtos que estarão à venda. Além de todo atendimento personalizado, há também uma equipe disponível para transformar toda essa seleção em cestas de presentes. 

O intuito é sempre apresentar novidades que serão garimpadas em viagens para incrementar ainda mais a gama de produtos que estarão disponíveis na loja, bem como o formato de apresentação. Será possível adquirir também os produtos na plataforma do e-commerce e pelo aplicativo CJ Food.

NATURA COMO GALERIA DE ARTE

Reafirmando sua presença offline, a Natura também teve uma mega inauguração em meio à pandemia. A mais recente loja-conceito da rede, na rua Oscar Freire, em São Paulo, resgata o mesmo endereço em que, em 1970, a marca teve seu primeiro ponto de venda.

Mistura de galeria de arte e local de compras, a nova loja traz uma conexão entre o que é oferecido no mundo digital e no real com foco na experiência e conveniência do consumidor.

Seguindo o modelo phygital (termo, em inglês, para indicar espaços físicos que fazem conexão com experiência virtual), o espaço possibilita ao público experimentar produtos da perfumaria e viajar para uma comunidade da Amazônia, fonte de matéria-prima da marca, por meio de óculos de realidade virtual biodegradável.

Dentro da nova loja também é possível medir a hidratação da pele, analisar o fio de cabelo ou personalizar presentes. A loja também possui trocador de fraldas oferecido pela marca Mamãe e Bebê, estúdio de maquiagem com espelho virtual e espaço de café em meio à natureza.

Há também um ponto de coleta logística reversa para contribuir com a diminuição do impacto ambiental - a cada cinco embalagens vazias retornadas das marcas o grupo Natura &Co (Avon, Natura, The Body Shop e Aesop), os clientes receberão um novo produto Natura.

Desenvolvida para remeter a uma galeria de arte, a nova loja conta com várias obras assinadas pelos Irmãos Campana, com quem a marca firmou uma parceria para a exposição “35 Revoluções”. Inspirada na Amazônia, a dupla brasileira de artistas desenvolveu projetos inéditos e instalações especiais para aprofundar o entendimento sobre floresta e regeneração - totalmente em sintonia com a produção de conteúdo trabalhada pela marca.

 

IMAGENS: divulgação






Publicidade





Publicidade







Publicidade