Negócios

5 Ps: por que este conceito revolucionou o marketing?


Os cinco fatores funcionam como uma espécie de roteiro que precisa ser contemplado por toda estratégia de marketing


  Por Estadão Conteúdo 07 de Dezembro de 2018 às 13:26

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A importância do marketing é inegável em qualquer modalidade de negócio. Definido como um conjunto de práticas, técnicas e estratégias, cujo objetivo principal é agregar valor a determinados produtos e serviços, o marketing é o meio pelo qual se busca chamar a atenção do público-alvo para uma marca ou empresa em específico.

Quem negligencia as estratégias de marketing, muito provavelmente não alcançará os resultados que busca em seus negócios.

De acordo com um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Agências de Publicidade (ABAP), cada R$ 1 investido em marketing gera R$ 10,69 para o conjunto da economia brasileira, tendo, portanto, influência direta sobre a própria composição do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

"O grande desafio dos gestores de marcas e empresas é determinar as estratégias de marketing mais apropriadas para cada modalidade de negócio", explica Marcelo Eskenazi, sócio da Gráfica Online Eskenazi, empresa do setor gráfico com mais de 60 anos de história.

"Sem entender os fundamentos do marketing, nenhuma estratégia pode prosperar e os resultados ficam aquém do esperado".

Um dos princípios mais notáveis do marketing é o conceito dos 5 Ps. Esses cinco fatores funcionam como uma espécie de roteiro que precisa ser contemplado por toda estratégia de marketing. São eles:

1. PRODUTO 

O primeiro P traz a caracterização daquilo que a marca ou empresa está oferecendo ao seu público-alvo. Pode ser, literalmente, um produto, como também pode ser um serviço, uma ideia e até uma determinada causa.

Ele precisa ser definido de acordo com uma análise prévia do mercado, de modo que seja lançado como solução ou suprimento para uma demanda específica do público-alvo.

2. PREÇO 

O segundo P determina as condições necessárias para que uma pessoa possa adquirir o produto, geralmente a especificação de um valor monetário.

O preço também é determinado por meio de análises de mercado, já que ele estará inserido dentro de padrões pré-existentes. Para as empresas, a precificação é uma etapa que precisa ser cumprida com muita cautela, para evitar futuros prejuízos e, ao mesmo tempo, fazer com que o produto oferecido seja atraente para o público

3. PROMOÇÃO 

O terceiro P fala sobre as estratégias de divulgação de um determinado produto. Quando o produto é uma novidade, a ideia é que as pessoas entendam porque elas precisam desse produto.

Quando é algo que já está disponível no mercado através de outros fornecedores, por exemplo, a estratégia de promoção é o que vai tentar convencer o público de que aquele produto específico é melhor do que os concorrentes.

"Flyers, panfletos, catálogos, cartões de visita são muito importantes nessa etapa", diz Eskenazi.

4. PRAÇA 

O quarto P determina o lugar onde o produto estará disponível para comercialização. Esse fator passou por uma mudança muito relevante nos últimos anos. Antigamente, falar em praça era se referir a um local físico, geográfico em que o produto poderia ser adquirido.

Com o surgimento da internet e o desenvolvimento do e-commerce, esse conceito foi transformado, já que produtos e serviços podem ser adquiridos de qualquer lugar com apenas alguns cliques.

De qualquer forma, especificar de que maneira o público pode ter acesso ao que está sendo oferecido é fundamental para o êxito das estratégias de marketing de uma empresa.

5. PESSOAS 

O quinto P é a razão pela qual todos os outros fatores foram instituídos. O público consumidor é o que deve nortear as decisões das marcas e empresas, pois foi para suprir seus desejos e suas demandas e expectativas que os produtos foram desenvolvidos.

O público-alvo deve ser sempre definido com muito zelo e constantemente consultado para que a marca possa se certificar de que está tomando as decisões mais efetivas.

FOTO: Pixabay