Leis e Tributos

O prazo para entrega da ECF foi alterado


A obrigação anual precisa ser entregue até o último dia útil do mês de julho, e não junho como era anteriormente


  Por Redação DC 04 de Maio de 2016 às 16:46

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O prazo para que as empresas entreguem a Escrituração Contábil Fiscal (ECF) foi alterado. Agora, esta obrigação tem de ser cumprida até o último dia útil do mês de julho. O prazo anterior era junho. Assim, haverá dois meses de diferença entre a entrega da ECF e da Escrituração Contábil Digital (ECD), que tem data limite em maio.

O novo prazo foi estabelecido pela Instrução Normativa n° 1.633, da Receita Federal, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 4/05.

LEIA MAIS: Governo pretende adiar a reforma do ICMS

A norma traz ainda que, nos casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação, a ECF deverá ser entregue até o último dia útil do terceiro mês subsequente ao evento. 

Mas para os casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação, ocorridos de janeiro a abril do ano-calendário, o prazo será até o último dia útil do mês de julho do referido ano, mesmo prazo da entrega da ECF para situações normais.

QUEM PRECISA ENTREGAR?

A Escrituração Contábil Fiscal substituiu a Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ). Ela é foi incorporada ao ambiente do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped). 

Todas as pessoas jurídicas, mesmo as imunes e isentas, precisam entregar a ECF, sejam elas tributadas pelo lucro real, lucro arbitrado ou lucro presumido. Já as empresas do Simples Nacional não precisam cumprir essa obrigação.

IMAGEM: Reprodução

 






Publicidade






Publicidade









Publicidade