Leis e Tributos

Impostos deixam a ceia de Natal bem mais salgada


A carga tributária de itens típicos da data, como espumantes, nozes e panetone, pode ultrapassar 57% do preço final do produto


  Por Estadão Conteúdo 11 de Dezembro de 2017 às 18:02

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Faltando duas semanas para o Natal, os brasileiros já começaram a abastecer a despensa com alimentos e bebidas. Mas, apesar do esforço de algumas famílias em pesquisar preços para economizar, não dá para escapar dos altos índices de imposto nos produtos mais comercializados nesta época do ano.

Segundo um levantamento feito pela empresa de consultoria e auditoria BDO, o porcentual de tributos que compõem a ceia de Natal pode ultrapassar 57%. De acordo com o diretor da área de tributos da BDO, Valmir Oliveira, o valor dos produtos pode ter incidência de ICMS, PIS, Cofins e IPI, sendo que esses tributos já estão entre os mais altos do mundo.

O espumante nacional tem impostos de 57,90%. Já os alimentos da categoria de peru, chester e pernil ficam com 25,41% de imposto. Para o panetone, consumido não apenas na ceia, 21,25% do valor é composto por tributos, enquanto as nozes têm 18% de imposto.

Os artigos de decoração apresentam alíquotas ainda maiores que os alimentos. Conforme o levantamento da BDO, os brasileiros pagam 47,25% de imposto nos enfeites de Natal e 47,25% nas luzes e árvores de Natal.

IMAGEM: Thinkstock