Leis e Tributos

Impostos continuam a assustar consumidores no Dia das Crianças


Mesmo com a recém-anunciada redução do IPI sobre consoles e jogos de videogame, opção de presente é a que ainda tem a maior carga tributária embutida no preço: 72,18%, segundo pesquisa da ACSP


  Por Karina Lignelli 11 de Outubro de 2019 às 18:00

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


Chegou mais um Dia das Crianças, mas a excessiva carga tributária que incide sobre os mimos para os pequenos continua a pesar no bolso de quem vai comprar os presentes. 

Levantamento realizado a pedido da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) aponta que objetos de desejo mais comuns das crianças, como eletrônicos e artigos como tênis importados são os que sofrem a maior incidência de impostos embutidos no preço, segundo o economista Emilio Alfieri.

LEIA MAIS:Brasileiros já pagaram R$ 1,6 bi em tributos

Mesmo com a recém-anunciada redução do IPI sobre esses consoles e jogos de videogame, oficializada pelo governo em agosto último (de 50% para 40% ou 30%, dependendo do item), os consumidores ainda vão continuar pagando caro por esses produtos, já que sobre eles ainda incidem PIS (1,65%), COFINS (7,60%), ICMS (18%) e contribuições (14,93%).

Ou seja, no preço de um dos consoles mais populares do mercado, que custa em média R$ 1,6 mil, aproximadamente R$ 1.154,00 - ou mais de dois terços do valor - são de impostos. 

Outros sonhos de consumo, conforme lembra o economista da ACSP, são os tênis importados - o segundo mais caro, com 58,59% de carga tributária -, assim como patins, skates ou patinetes (52,78%), bicicletas (45,93%) e celulares (39,80%). O tênis nacional não fica atrás, com 44% de impostos embutidos no preço final, segundo o levantamento do IBPT. 

Até produtos mais simples, como estojos de canetinhas e lápis de cor, ou bonés e camisetas de time, também não ficam atrás, taxados com carga tributária que varia entre 40% e 34%. Mas ainda há opções para curtir com a criançada menos preocupado com o peso dos tributos, como ingressos de teatro ou cinema (20,85%) ou livros infantis (15,52%). 

O ideal, portanto, é preparar o bolso e pesquisar bastante antes de comprar o presente, sempre tentando aliar qualidade com o melhor preço, já que os impostos incidirão de qualquer jeito, alerta Alfieri. 

Vale ressaltar, segundo o economista da ACSP, que hoje existem mais de 60 tipos de impostos, taxas e contribuições no sistema tributário brasileiro. Portanto, seria interessante se houvesse uma redução mais abrangente desse total de obrigações fiscais, e não apenas dos cinco principais tributos, conforme uma das propostas para a nova Reforma Tributária que hoje tramita na Câmara dos Deputados, ou a que engloba nove, como a que está no Senado. 

"Mas a expectativa é que essas discussões sobre a Reforma levem a uma grande simplificação do número de tributos do sistema como um todo", finaliza.  

FOTO: Thinkstock