Leis e Tributos

Impostômetro da ACSP bate a marca de R$ 1,9 trilhão


Valor calculado pela ACSP corresponde ao total pago para a União, estados e municípios na forma de impostos, taxas, multas e contribuições


  Por Mariana Missiaggia 09 de Outubro de 2019 às 13:08

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) atinge a marca de R$ 1,9 trilhão nesta quarta-feira (9/10), às 23 horas. Em 2018, o volume que corresponde ao total de impostos, taxas, multas e contribuições pagas desde o primeiro dia do ano, foi alcançado no dia 23/10.

A antecipação de 14 dias na arrecadação já era esperada, de acordo com Marcel Solimeo, economista da ACSP. Ele explica que o recolhimento continua respondendo ao ritmo da economia somado a inflação do período.

“É um movimento previsível de aumento da receita do governo, mas que será sempre insuficiente porque as despesas crescem fortemente e o Estado gasta, o consumidor paga”, diz.

Solimeo afirma que, mesmo em discussão, a reforma tributária - essencial para o Brasil se modernizar e simplificar seu sistema tributário - ainda não se encaminha para uma possível redução da carga tributária.

“Entretanto, o caminho é esse. Num primeiro momento, a prioridade deve ser a simplificação até para diminuir a quantidade de tributos, para em seguida, focar na redução da carga tributária”.

O Impostômetro foi implantado em 2005 pela ACSP para conscientizar os brasileiros sobre a alta carga tributária e incentivá-los a cobrar os governos por serviços públicos de mais qualidade.

Está localizado na sede da ACSP, na rua Boa Vista, centro da capital paulista, mas outros municípios e capitais se espelharam na iniciativa e instalaram seus painéis. No www.impostometro.com.br, é possível acessar diversas informações tributárias e entender mais sobre o assunto.

FOTO: Patrícia Baptista/ACSP