Leis e Tributos

Impostômetro da ACSP atinge os R$ 2,1 trilhões


Montante, que representa o total de impostos, taxas e contribuições pagos pelos contribuintes desde o início do ano, será alcançado 15 dias antes do que em 2018, de acordo com a ACSP


  Por Karina Lignelli 05 de Novembro de 2019 às 13:17

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) vai marcar R$ 2,1 trilhões ao 12h30 desta quarta-feira (06/11). 

O valor - que representa o total de impostos, taxas e contribuições pagos pelos contribuintes desde o início do ano – será alcançado 15 dias antes do que em 2018, o que mostra que os brasileiros estão pagando mais tributos aos cofres dos governos municipais, estaduais e federal.

O crescimento da economia, embora em marcha lenta, contribuiu para que a arrecadação tenha atingido o montante antes do ano passado, segundo Emílio Alfieri, economista da ACSP.

"Mesmo com esse total de recursos e a carga tributária alta, é baixo o retorno em serviços básicos para a população", afirma.

Porém, segundo o economista, vale ressaltar que o governo parece estar atento à essa questão, já que encaminhou para o Congresso, nesta terça-feira (05/11) uma série de medidas voltadas ao ajuste fiscal, com o objetivo de controlar os gastos e adequá-los à arrecadação.

"É um fato positivo, mas também é importante que se faça uma grande simplificação no sistema tributário, que tem mais de 60 impostos, taxas e contribuições, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT)."

O painel do Impostômetro foi implantado em 2005 pela ACSP para conscientizar os brasileiros sobre a alta carga tributária e incentivá-los a cobrar os governos por serviços públicos de mais qualidade. Está localizado na sede da ACSP, na Rua Boa Vista, centro da capital paulista. Outros municípios e capitais se espelharam na iniciativa e instalaram seus painéis. Para mais informações, acesse o site

FOTO: Patricia Baptista