Leis e Tributos

E lá se vai R$ 1,5 trilhão do bolso do contribuinte


Esse é o valor em impostos, taxas e contribuições pago pelos brasileiros do início do ano até agora, segundo o Impostômetro da ACSP


  Por Redação DC 30 de Julho de 2021 às 16:51

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) atinge R$ 1,5 trilhão no domingo (1/8). Esse é o montante pago pelos contribuintes em tributos desde o primeiro dia do ano aos governos federal, estaduais e municipais.

No ano passado, o registro aconteceu em 28 de setembro, o que quer dizer que em 2021 a velocidade da arrecadação aumentou.

As causas do aumento da arrecadação de tributos neste ano, comparado com 2020, são a melhora da situação da economia, com maior produção e maior consumo, de um lado, o que é positivo, e a elevação dos preços dos produtos e serviços, de outro, o que é negativo.

A taxa de inflação, medida pelo IPCA, atingiu 8,6% em doze meses. O IGP-M subiu mais de 33% no mesmo período. O aumento dos preços reflete na receita tributária, contribuindo para que o ritmo da arrecadação aumente este ano, analisa Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Ele pondera que no mesmo período do ano passado a maioria dos estados ainda adotava medidas restritivas para o funcionamento de lojas, shoppings e restaurantes, com objetivo de conter o avanço da covid-19.

“Boa parte do aumento da arrecadação deste ano é explicada pela melhora da economia, que está menos sujeita às restrições de funcionamento”, diz Solimeo.

O QUE FAZER COM R$1,5 TRILHÃO?

O que você faria com R$1,5 trilhão? De acordo com os cálculos do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), com esse montante é possível comprar mais de 48 mil carros populares.

Se aplicado na poupança, esse valor renderia também mais de R$ 8,6 milhões por mês.

PESO DOS IMPOSTOS

No site Impostômetro é possível saber qual a alíquota de imposto por produto. Os consumidores que não se prepararam para a massa de ar polar e precisam comprar cobertores, por exemplo, vão desembolsar 26,05% em imposto. Do preço do Edredom, 37,88% são tributos; do aquecedor de ambiente, 48,30%; do casaco de moletom, 34,67%; e do cachecol, 34,13%.

O painel físico do Impostômetro está localizado na Rua Boa Vista, 51, Centro Histórico de São Paulo – anexo ao edifício sede da Associação Comercial de São Paulo.

 

IMAGEM: Paulo Pampolin






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade