Leis e Tributos

Brasileiro paga 59,5% em impostos para brindar no Dia dos Namorados


Carga tributária dos presentes para a cara-metade pode representar mais da metade do valor dos produtos, segundo o IBPT


  Por Karina Lignelli 10 de Junho de 2016 às 17:10

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


O amor está no ar. Mas a intenção menor de comprano atual cenário econômico, somada à alta carga tributária dos presentes para o Dia dos Namorados, pode doer bastante no bolso dos pombinhos neste 12 de junho. 

Um levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) mostra que o Leão não perdoa nem nessa data tão especial. Pelo contrário, a mordida é tão grande que mais da metade do preço de alguns produtos equivale a tributos.    

Exemplo disso são itens como champanhe ou vinho, cuja parcela de impostos totaliza 59,49% e 54,73%, respectivamente.  

LEIA DICAS DE GUSTAVO CERBASI:Contas em dia, relacionamento feliz

“Além da alta carga tributária, são artigos nos quais o imposto de importação incide diretamente”, diz Marcel Solimeo, economista-chefe da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).  

A carga tributária de eletroeletrônicos, como smartphones, tablets e computadores também é elevada, na faixa de 30% e 40%. De acordo com dados do IBPT, os apaixonados pagam altos impostos até para celebrar a ocasião em um jantar, em um passeio no cinema ou no teatro. 

Um singelo buquê de flores é o único presente da lista no qual os impostos são menos onerosos, já que representam 17,71% do preço total. 

“O consumidor deve optar por opções mais baratas e de qualidade – o que não impede que ele deixe de arcar com os tributos”, afirma João Eloi Olenike, presidente executivo do IBPT. 

Mas, independentemente da carga tributária, o que determina mesmo o tamanho da vontade de presentear a cara-metade é o valor total do produto, lembra Solimeo, da ACSP. 

LEIA MAIS:E-commerce prevê alta de 12% no Dia dos Namorados

É evidente, segundo o economista, que quanto maior a carga tributária, maior o reflexo no preço final. Mas ele reforça que a preferência será por produtos de menor valor, o que normalmente ocorre quando a renda está menor e o consumidor mais cauteloso.  

“Tudo isso tem de ser levado em conta na hora de decidir para não pesar muito no bolso”, orienta. E você, já decidiu? Se sim, boas compras e feliz Dia dos Namorados. 

Imagem: Thinkstock