Inovação

Uma fintech para facilitar (e desmistificar) o acesso ao crédito


Fundada pelo economista Marcos Ramos, a startup EasyCrédito, que tem mais de 1 milhão de usuários, acaba de fechar parceria com o Bradesco para atender também os não-correntistas


  Por Karina Lignelli 11 de Janeiro de 2019 às 08:00

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


Crédito não se trata apenas de dinheiro, mas de pessoas, sonhos e necessidades. Foi com base nessa premissa que o economista Marcos Ramos, 32, resolveu empreender e abrir o seu primeiro negócio: a fintech EasyCrédito, uma espécie de marketplace de serviços de crédito, como cartões, empréstimos e financiamento para quem tem pouco ou nenhum acesso a instituições financeiras.  

Com experiência em diversas áreas de grandes bancos desde que começou a trabalhar, ainda adolescente, uma em especial chamou sua atenção: a de atendimento ao público.

"Percebi que muitas pessoas precisavam de crédito, mas, ou não sabiam como conseguir, ou saíam frustradas por não entenderem porque seu pedido foi reprovado", conta.  

LEIA MAIS: Nubank se tornou o terceiro unicórnio brasileiro

Em 2013, resolveu sair do banco em que trabalhava para trabalhar para "si mesmo", conforme gosta de dizer, em uma consultoria financeira para pequenas e médias empresas que precisavam de crédito, orientando principalmente sobre documentação adequada e até sobre postura durante a negociação com o banco. 

Porém, intrigado com o desencontro entre a necessidade de quem precisava desse crédito - e muitas vezes passava por constrangimento no momento de solicitá-lo em bancos, no varejo ou em crediários de lojas -, e as variáveis que cada banco avaliava para concedê-lo, Ramos enxergou uma oportunidade de negócio. 

Dois anos depois, nascia a EasyCrédito. "Ela surgiu de forma quase manual", diz. "Mas como o movimento das fintechs estava chegando no Brasil, acabei levando essa ideia para a internet", lembra.  

LEIA MAIS: Fintechs são alternativas de crédito para os pequenos negócios

A plataforma, que pode ser acessada tanto pelo site como por aplicativo, funciona de um jeito bem simples: basta se cadastrar, escolher o serviço de crédito e confirmar a solicitação. A resposta é enviada por e-mail.

Se, para o usuário a consulta é mais rápida, sem atrito e sem burocracia do que uma solicitação presencial, para as instituições financeiras o interessante é que o cadastro dá acesso a mais dados, como os perfis em redes sociais. 

"Ninguém dá a senha do Facebook para o gerente do banco para que ele avalie o seu perfil, claro", diz Ramos. "Mas a busca online facilita a análise real do risco de crédito do candidato, e permite que mais operações sejam aprovadas." 

A plataforma ainda dá orientação a pessoas muito endividadas a avaliar se adquirir mais crédito é a solução. Também permite consultar a situação do CPF, além de acessar conteúdo gratuito sobre educação financeira.

Com aporte inicial de R$ 10 mil de uma aceleradora, e a ajudinha valiosa de amigos que se tornaram sócios - Bárbara Moreira, Douglas Jason, Egio Arruda e Rodrigo Siqueira -, para desenvolver a tecnologia e buscar parceiros, a startup de finanças, nascida em um coworking de Goiânia (GO) em 2015, começou a crescer. 

E a EasyCrédito passou a fazer cada vez mais parte do ecossistema das startups, participando de programas como o InovAtiva Brasil, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e o Inovabra, do Bradesco - ocasião em que a EasyCrédito veio para São Paulo. Já na cidade, a startup também foi convidada pelo Google para participar do demoday no Google Campus, onde foi residente ao longo de 2017.  

Até o momento, a EasyCrédito, que tem um time de 22 pessoas, recebeu cerca de R$ 1 milhão em aportes de aceleradoras, fundos e investidores-anjo. Em três anos de atividade, processou a análise de crédito de mais de 1 milhão de usuários e hoje conta com 56 parceiros, como bancos, operadoras de cartão e outras fintechs. 

PARA TODOS

A participação da EasyCrédito no Inovabra, do Bradesco, também rendeu frutos para uma nova parceria: uma plataforma de Empréstimo Pessoal Online para não-correntistas. 

De acordo com o Bradesco, a parceria com a EasyCrédito "é uma prova de conceito que está sendo desenvolvida com uma amostra limitada de clientes", já que empresa é uma das habitantes do espaço de co-inovação do Bradesco, o Inovabra Habitat. 

A iniciativa, segundo Ramos, é pioneira, já que somente clientes que tinham conta-corrente no banco podiam contratar empréstimos por lá. "Com a parceria, esperamos atingir mais de 500 mil novos usuários", acredita. 

Para 2019, está em andamento a chegada de um aporte mais generoso, R$ 5 milhões, oriundo de um fundo de investimentos. A ideia, de acordo com Ramos, é investir em tecnologia e na aquisição de novas parcerias.

"Nosso foco é o usuário final. Portanto, queremos melhorar cada vez mais nosso produto para oferecer uma melhor experiência de crédito", conclui. 

FOTO: Divulgação/Google Campus