Inovação

Um futuro sem corrupção. Será que é possível?


Peter Kronstrøm (na foto), do Copenhagen Institute for Future Studies, acredita que sim. Ele também afirma que os carros autônomos irão revolucionar a vida das pessoas.


  Por Thais Ferreira 31 de Outubro de 2017 às 13:00

  | Repórter tferreira@dcomercio.com.br


Os valores da sociedade estão mudando. Se antes as pessoas estavam interessadas em comprar, agora elas querem ter acesso. 

Isso explica em parte o sucesso de empresas como o Uber e os aplicativos de carona. Em vez de possuir um carro, muitas pessoas estão optando por utilizar os serviços de motoristas particulares.

Num futuro não muito distante, os carros autônomos e compartilhados irão revolucionar a indústria automobilística e forma como nos locomovemos pelas cidades.

“O problema é que a maioria das empresas acredita que ainda deve vender produtos, mas elas deveriam estar preocupadas em proporcionar acesso para os consumidores.”

Essa é uma das reflexões de Peter Kronstrøm, dinamarquês que trabalha na América Latina para o Copenhagen Institute for Future Studies, instituição que ajuda empresas e governos a tomarem decisões baseadas em tendências de futuro.

Durante palestra organizada pelo Sebrae, Kronstrøm apontou 14 grandes temas que o instituto chama de “Mega Trends” (Mega Tendências), que irão influenciar o futuro do planeta nos próximos 15 ou 20 anos.

Entre pontos listados estão: sociedade em rede, sustentabilidade, democratização, desenvolvimento tecnológico, individualização e desenvolvimento demográfico.

“As macrotendências são globais, mas atuam de diferentes formas em cada região”, afirma Kronstrøm.

Com base em estudos e análises, os especialistas do instituto conseguem observar essas tendências. Mas, nem tudo pode ser previsto com antecedência.

É o que Kronstrøm chama de efeito Cisne Negro: “São fatos que só percebemos sua aproximação quando já está muito próximo de acontecer.”   

Há dez anos, por exemplo, ninguém conseguiria prever o impacto dos smartphones na sociedade. Há cinco, era difícil antever que Donald Trump seria presidente dos Estados Unidos. 

Mesmo com esses desvios, Kronstrøm acredita que é possível entender quais são os próximos passos da humanidade. 

CORRUPÇÃO

O smartphone mudou o mundo como conhecemos. Hoje, é possível registrar tudo com um aparelho que carregamos no bolso e com apenas um toque.

“A sociedade está nua e transparente”, afirma Kronstrøm.  “Isso é bom para as pessoas e para as pequenas empresas, mas é ruim para os governos e para grandes companhias.”

De acordo com os estudos do instituto dinamarquês, é possível que a corrupção acabe muito antes do que podemos imaginar. Uma vez que a tendência é que a relações se tornem cada vez mais transparentes com os incrementos tecnológicos.

MATRIZ ENERGÉTICA

Outra mudança prevista é a de matriz energética. Cada vez menos a humanidade irá usar depender de fontes fósseis, que serão substituídas por opções renováveis, como é o caso da energia solar e eólica.

Essa alteração irá mexer com a infraestrutura das cidades.

Os cidadãos não serão apenas consumidores passivos. Eles se tornarão “prosumers” (termo em inglês que mistura palavras consumidor e produtor).

Ou seja, além de consumir energia por meio de painéis solares, as pessoas irão vender o excedente para os governos e empresas, mudando a lógica da cadeia produtiva.  

AUTOMATIZAÇÃO

Os robôs e automatização já deixaram de fazer parte do futuro. Eles já são realidade.

Apesar da crescente substituição da mão de obra humana, Kronstrøm afirma que nunca irá faltar trabalho no mundo.

 “Hoje, temos tecnologia para substituir 70% dos trabalhadores de todo o mundo”, diz. “Isso ainda não aconteceu porque as mudanças demoram, principalmente no Brasil, que é um país burocrático ”

Quando a substituição realmente acontecer, muitas pessoas ficaram livres para fazer outras atividades e pensar novas formas trabalho.  Já há empresas, por exemplo, que se dedicam a criar vozes para robôs.

As mudanças no mundo trabalho serão profundas e causaram diversos problemas sociais, de acordo com Kronstrøm. Por isso, a renda básica universal se tornará uma realidade.

CARRO AUTÔNOMO

Uma das grandes mudanças que acontecerá dentro dos próximos anos será a popularização dos carros guiados por inteligência artificial.

 De acordo com as projeções apresentadas por Kronstrøm, 50% da frota mundial será forma por veículos autônomos em 2035.

Além disso, o instituto dinamarquês prevê que as pessoas poderão morar mais longe dos centros urbanos. Uma vez que todos poderão se locomover com mais rapidez, a baixo custo e com segurança.

“O carro autônomo trará uma revolução similar a da internet na vida das pessoas”, afirma Kronstrøm. “Muito mais do que um transporte, o veículo será um assistente virtual que irá ajudar em diversas atividades.”

FOTO: Divulgação