Inovação

Grife italiana lança coleção só para alugar


A iniciativa foi batizada de "Pleasedontbuy" ("Por favor não compre", em tradução livre) e disponibilizará para o aluguel peças avaliadas entre 900 e 3 mil euros


  Por Ansa 23 de Julho de 2019 às 09:53

  | Informações fornecidas pela Agência Italiana de Notícias


A marca italiana Twinset lançará, a partir de setembro, uma coleção cápsula projetada, criada e produzida exclusivamente para locação, informou o CEO da grife, Alessandro Varisco.

"A equipe de designers criará a coleção somente para esse fim, seremos a primeira marca a fazer isso, controlando tudo, desde a compra do tecido até o aluguel", explicou.

A iniciativa foi batizada de "Pleasedontbuy" ("Por favor não compre", em tradução livre) e disponibilizará para o aluguel peças avaliadas entre 900 e 3 mil euros em oito lojas da Itália - Milão (2), Roma (2), Bari, Florença, Verona e no Centro Orio, próximo a Bergamo.

Inicialmente serão 21 modelos, com 3 ou 4 cores diferentes, entre os tamanhos 38 e 48, atualizados para atender as necessidades da moda e dos clientes.

A partir de janeiro o projeto se expandirá para outras cidades, na web e no exterior.

LEIA MAIS: Pequenas empresas surfam na onda do compartilhamento

"Sabemos que roupas de eventos especiais feitas com tecidos e materiais preciosos têm custos muito altos e geralmente são usadas apenas uma vez. Oferecemos a todos a chance de usar roupas que custam de 900 a 3 mil euros por pessoa, com um custo variável de 40 a 90 euros", explicou Varisco.

Segundo o CEO da Twinset, já existem alguns serviços de aluguel de roupas, mas eles são multimarcas que compram em estoque depois que o produto já está na boutique ou nos outlets.

Em sua loja, porém, além da locação, serão criados espaços especiais com serviços de seguro, alfaiataria e lavagem. "É também um serviço ecológico, sem consumismo, mas reutilizável", finalizou o italiano.

LEIA MAIS: Economia compartilhada está mudando o consumo

A geração que a Twinset pretende atrair é a dos jovens com menos de 25 anos, que atualmente representa apenas 5% da clientela da marca. Além disso, a ideia é "estimular a empresa a falar uma linguagem mais contemporânea".