Inovação

5 fatores que dificultam a inovação


Síndrome de avestruz ou Gabriela? Falta de prioridades ou lideranças imediatistas? Especialista aponta quais as atitudes que impedem uma empresa de se diferenciar com crise ou sem


  Por Redação DC 08 de Junho de 2020 às 12:31

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Inovação é um tema recorrente nas empresas. Porém, se a maioria sabe da sua importância e necessidade, são poucas as que conseguem efetivamente colocá-la em prática.

Trabalhando com o tema há algum tempo, Alexandre Pierro, sócio-fundador da Palas, consultoria especializada em inovação e gestão, afirma que há vários fatores que impedem uma empresa de inovar de forma coerente com a sua realidade, de forma assertiva e periódica.

Participante da formatação da certificação ISO 56.002 (de gestão da inovação), Pierro, que diz que, independente do porte da empresa, os líderes são os maiores responsáveis pelo seu sucesso ou o seu fracasso, lista a seguir os cinco fatores mais comuns que tendem a inibir a inovação nas empresas: 

LEIA MAIS:SOS Empreendedor trará soluções semanais para driblar a crise

#1 - Síndrome de Gabriela

“Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim”. A música tema da novela Gabriela, baseada na obra de Jorge Amado, fez muito sucesso na década de 70. A trama revela que Gabriela não conseguia se adaptar aos costumes de sua época, adotando um jeito espontâneo e até pouco rude para não se enquadrar à sociedade.

Qualquer semelhança com muitos empresários atualmente não é mera coincidência. Mesmo em tempos de digitalização, muitos ainda insistem em viver como se estivessem na era das máquinas à vapor. A alegação quase sempre é: em time que está ganhando não se mexe. "E assim, a inovação passa longe", afirma. 

#2 - Síndrome de avestruz

Outra síndrome que impede a inovação nas empresas é a de avestruz. Os líderes ficam tão imersos nas pendências que não conseguem acompanhar as tendências. Com a cabeça dentro de seu próprio “buraco”, eles não conseguem enxergar o que acontece fora da empresa. 

Não por acaso, muitas vezes são “atropelados” por inovações que simplesmente riscam suas empresas do mapa. "Apaixonados por seus próprios produtos/serviços, eles não conseguem acompanhar as transformações do consumidor, que está sempre buscando novas formas de ter suas necessidades atendidas", destaca. 

#3 - Liderança imediatista

Talvez o maior inimigo da inovação nas empresas seja o bônus. Focados nos resultados de curto prazo, líderes tendem a focar nas soluções que já são conhecidas e rentáveis em vez de se aventurarem nos longos ciclos de testes e falhas que a inovação demanda. Um bom exemplo desse tipo de cultura é a Kodak.

Embora nem todos saibam, foi um engenheiro da própria companhia quem criou a máquina digital. Ao apresentar aos seus líderes, virou motivo de chacota, já que o produto causaria a morte do modelo de negócios da empresa. O resto da história, você já conhece bem. "Uma prova inequívoca de que quem não faz, toma", diz Pierro. 

#4 - Sistema imunológico

Outro grande inimigo da inovação é o forte sistema imunológico que a grande maioria das empresas têm. Infelizmente, muitos profissionais acreditam que sucesso é manter o status quo, enquanto na verdade, o certo seria desafiar o status quo, buscando sempre novas maneiras de fazer mais com o mesmo ou até com menos. A busca pela eficiência e pela melhoria deve ser contínua. Não é possível ficar estático em um mundo dinâmico.

#5 - Falta de prioridade

Mantidas falsamente seguras em sua tão aclamada zona de conforto, muitas empresas buscas desculpas batidas para não inovar. Entre as mais comuns: inovar custa caro. Experimente então o preço da obsolescência! Garanto que sai muito mais caro.

Outra desculpa recorrente é a falta de tempo. Só que enquanto você fica apagando incêndios na sua empresa, pode ser que tenha um "garoto nerd" dentro de seu próprio quarto criando algo que vai simplesmente matar o seu negócio, brinca e, ao mesmo alerta, o especialista.

"Aí, nem incêndio para apagar você terá. Sua empresa já estará em ruínas. E se a sua desculpa for 'faltam bons profissionais para inovar', lembre-se que gente boa é bem treinada. Então, crie você mesmo um campo fértil para que mentes brilhantes se proliferem", conclui. 

FOTO: Thinkstock