Gestão

Semana do MEI oferece capacitação e educação financeira


Empreendedores de todo o país podem participar gratuitamente das consultorias, que terão como foco principal a orientação para estimular vendas


  Por Redação DC 09 de Maio de 2018 às 16:22

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Para qualificar e orientar os microempreendedores individuais (MEIs) a gerirem melhor seus negócios, o Sebrae realiza a Semana MEI 2018, entre os dias 14 de 19 de maio. Neste período, também será realizada a Semana da Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), com oportunidade para os empresários aprofundarem conhecimento em finanças.

Há quase 10 anos, a figura jurídica do Microempreendedor Individual revoluciona o empreendedorismo no Brasil. São 6,5 milhões de empresários autônomos formalizados, com até um empregado e faturamento de até R$ 81 mil por ano, que contam com benefícios previdenciários, podem acessar crédito e emitir nota fiscal.

LEIA MAIS: MEI já pode administrar negócios pelo celular

Este ano, a mobilização terá como foco a orientação do MEI para estimular vendas. A última pesquisa do perfil do MEI indica que 31% dos empreendedores apontam a dificuldade de conquistar clientes  como o principal problema enfrentado e 25% dos que fecharam o negócio relataram que não tinham lucro. 

A Semana MEI também vai orientar futuros empreendedores a abrirem ou formalizarem o próprio negócio. Haverá ainda orientação sobre as declarações anuais e esclarecimento de dúvidas sobre as atividades permitidas para o registro do Microempreendedor Individual.

“A Semana do MEI é uma oportunidade importante para que todos possam acessar novos conhecimentos, esclarecer dúvidas e se orientar sobre estratégias que facilitem conquistar novos clientes e faturar mais”, afirma o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Segundo ele, ao sair da informalidade, o empreendedor abre novas perspectivas para sua atuação. “E junto com a Semana ENEF quem empreende também pode conhecer melhor sobre finanças e tomar decisões mais acertadas na gestão do seu negócio”, completa.  

“Aprender nunca é demais”, observa a empresária Beatriz de Paula Romagnoli. Formalizada há sete anos, ela continua se atualizando. “Fiz o Empretec e tive uma noção do que iria fazer e depois continuei com vários cursos no Sebrae”, conta.

A empreendedora de São Paulo hoje produz produtos personalizados, e brindes para festas e eventos, entre outras atividades. Pelo Super MEI, ela se especializou em decoração de festas e no ano passado concluiu, também pelo Sebrae, capacitação no segmento gráfica. “Para quem quer entrar no mercado tem que conhecer e saber o que vai fazer”, aconselha Beatriz.

Nos últimos anos, a formalização como MEI aumentou, assim como o faturamento de pelo menos 78% dos pequenos negócios. Com isso, os Microempreendedores Individuais começaram a investir em projetos de expansão, como fez Douglas Benedito Guilhen, que há três anos deixou o emprego para vender água mineral pela cidade de Marília (SP), onde mora.

Da perua Parati, que carregava 30 galões, ele passou para uma caminhonete pequena. Agora, depois de um empréstimo de R$ 20 mil, ampliou seus negócios ao comprar um caminhão. “Hoje, meu estoque é de 800 galões, mas chegam a 1,2 mil mensais”, conta Douglas, que começou a fazer propaganda de seu negócio de porta em porta.