Gestão

Para falar de liderança, Sebrae Day usa Game of Thrones


A partir de personagens da série, o palestrante Rodrigo Selback, especialista em misturar temas empresariais com o universo pop, identifica os principais estilos de líderes no mundo corporativo


  Por Agência Sebrae 27 de Fevereiro de 2020 às 12:11

  | Informações do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena empresa


Para quem acompanhou as oito temporadas de Game of Thrones, o tema do Sebrae Day da última quinta-feira (20/02) foi especial. O convidado do dia foi Rodrigo Selback, especialista no Instituto da Transformação Digital e Master da Campus Party, que conversou com os presentes sobre o que a série pode nos ensinar sobre liderança.

O encontro faz parte de uma série de debates sobre temas relativos à inovação nos pequenos negócios promovido pelo Sebrae, que acontecem sempre no espaço Inovabra Habitat, em São Paulo.

LEIA MAIS:O que Kobe Bryant deixou como legado para você, empreendedor

Rodrigo Selback é palestrante de alguns dos maiores eventos de tecnologia e empreendedorismo do Brasil. Ele utiliza os ensinamentos de Game of Thrones em treinamentos e cursos de liderança de em diversas empresas sempre misturando os temas do mundo empresarial com assuntos do mundo pop.

“Game of Thrones pode nos ensinar muita coisa. Os personagens são postos a prova a todo o momento, precisando se superar a cada novo acontecimento, utilizando da sua liderança e muitas outras habilidades”, explica Selback. Outro ponto debatido foi que os líderes de Westeros (reino em que se passa a série) deixaram muitas lições (boas e más) sobre como liderar, que podem ser aplicadas no dia a dia das empresas e startups.

Segundo Rodrigo, Game of Thrones nos ensina sobre identificação de talentos. Sobre inspirar pessoas, buscar o autoconhecimento, ser estudioso e nunca desistir. O palestrante comenta que o líder explora o potencial das pessoas, pois elas, sim, são o verdadeiro diferencial de valor das empresas. “Só se aprende a ser líder quando aprendemos a nos liderar. É uma jornada eterna, cíclica. Ninguém nasce líder, esta é uma condição adquirida na caminhada”, avalia.

A série mostrou ao longo das temporadas diferentes tipos de lideranças e as consequências que resultaram de cada uma delas. Rodrigo comenta que algumas situações são muito parecidas com o que vivemos no mundo corporativo.

“Quanto mais um líder pensou em si próprio, mais ele se destruiu. No fim, o que prevaleceu foi a liderança pensada em todos, feita por pessoas de diferentes interesses”, destaca. Segundo ele, um líder só consegue inspirar e engajar seus liderados se for correto e coerente com suas atitudes. “Ser líder é manter o nó do exemplo com o inspirar muito firme. É o nó principal da liderança”, afirma Rodrigo.

De acordo com Rodrigo, existem vários tipos de líderes identificados no decorrer da narrativa de Game of Thrones, que podem ser relacionados com personalidades atuais:

- Justo: na série, Ned Stark, no mundo real, Nelson Mandela;

- Paternalista: na série, Cersei Lannister, no mundo real, Donald Trump;

- Visionário: na série, Daenerys Targaryen, no mundo real, Steve Jobs;

- Autocrático: na série, Joffrey Baratheon, comparado ao personagem Frank Underwood, da série House of Cards;

- Dirigista: na série, Tyrion Lannister, no mundo real, Elon Musk;

- Pressionador: na série, Khal Drogo, no mundo real, Bernardinho;

- Treinador/Coaching: na série Lorde Varys, no mundo real, Tite. 

Quer saber qual é seu estilo de líder? Clique aqui e descubra.

FOTO: Gustavo Morita