Gestão

Glossário do empreendedor: o que é SKU


Trata-se de um código único de um produto que aponta todas as suas variações de atributos, utilizado para catalogar e gerenciar o estoque da loja


  Por Italo Rufino 24 de Maio de 2021 às 17:00

  | Repórter


Imagine a seguinte situação: você compra um sapato numa loja virtual e, dias depois, quando a encomenda chega em sua casa, você percebe que a cor do sapato não é a mesma que você escolheu no site. 

O erro, que parece acidental, gera uma quebra de expectativa no consumidor, que passará a olhar a marca com menos credibilidade. Para o comércio, além do risco de perder o cliente, haverá custos extras com o processo de logística reversa. 

E não pense que esse “probleminha” acontece apenas com consumidor azarado. De acordo com uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Consumo e Varejo, o desencontro entre o que foi pedido e o que foi entregue corresponde a mais de 10% dos motivos de trocas no comércio.

Então, como minimizar esse risco?

A resposta pode ser SKU (Stock Keeping Unit ou unidade de manutenção de estoque, em português), que é um código de identidade de um produto, por meio do qual o lojista gerencia o estoque e os processos de logística do seu negócio. 

O código, utilizado em todos os segmentos do varejo, designa os diferentes produtos do estoque e é baseado em forma, cor, tamanho, sabor, fabricante, entre outros atributos. 

Para ficar mais fácil de entender, pense que um posto de gasolina, geralmente, vende gasolina aditivada, gasolina comum, etanol comum, etanol aditivado, diesel e GNV. Neste caso, o comércio trabalha apenas com seis SKUs. 

Já em uma loja de vestuário é corriqueiro operar com centenas ou milhares de SKUs, uma vez que os produtos possuem uma gama de diferenciações, que formam uma infinidade de combinações. 

Por exemplo, uma bota, masculina, de couro, tamanho 39, preta, com fivela e cadarço, tem seu próprio SKU – e qualquer mudança em uma das características requer a criação de outro código.

Quando o lojista utiliza o sistema de SKU fica muito mais fácil pesquisar e identificar exatamente os produtos que estão no estoque e os que foram vendidos, entregues ou trocados.

No comércio eletrônico, os SKUs são utilizados por sistemas de gestão que integram o estoque físico da loja, lista de produtos exibidos no site e softwares utilizados por parceiros logísticos. 

Dessa forma, todos os elos do processo de venda utilizam o mesmo código– e é isso que diminui as chances da loja realizar uma entrega errada para o consumidor.

O sistema baseado em SKU também é utilizado para deixar as páginas do e-commerce mais enxutas. 

Por exemplo, uma loja de calçados pode determinar que a variável “cor” não seja considerada na página de lista de produto. Assim, o site exibe produtos de apenas uma cor e, quando o cliente quiser ver detalhes, entra na página do produto para ver todas as opções de cores.

A mesma ideia é usada para filtrar produtos. Quando o consumidor seleciona ver apenas sapatos da cor preta, a lógica de programação do site isola somente a parte do SKU que designa a cor preta.

COMO CRIAR UM SKU

Primeiramente, SKU não é o mesmo que código de barras. O SKU é um código exclusivo da empresa – e o código de barras é definido pelo fabricante para rastrear seus produtos. 

Usar o código de barras como SKU pode gerar problemas, pois, caso o fabricante mude o código de barras de um produto que já possui uma versão anterior na loja, toda a organização poderá se perder. 

Além disso, a ideia é que o SKU seja identificável facilmente pelas pessoas que trabalham na empresa. Isso é útil quando o vendedor precisa distinguir diferentes produtos num cupom fiscal, por exemplo. 

Um modelo de SKU que circula pela internet é o usado pela marca de jeans Levis’s. Por exemplo, o SKU “LEV-JN-SL-36-GN” significa:

LEV: Levis, nome do fabricante. 
JN: jeans, material de fabricação.  
SL: Straight Leg, modelo da calça, com corte reto do quadril até as pernas. 
36: numeração, tamanho.
GN: Green (verde), cor do produto. 

Assim, o SKU usado pela marca expressa as principais variáveis do produto, apresenta uma ordem lógica e é de fácil leitura. 

LEIA MAIS:

Glossário do empreendedor: o que é "churn rate"

Glossário do Empreendedor: o que é OKR

Glossário do empreendedor: o que é Beacon

Glossário do empreendedor: o que é "bootstrapping"

Glossário do Empreendedor: entenda o que é Product Market Fit

Glossário do empreendedor: o que é Fisital

Glossário do empreendedor: o que é hackathon

Glossário do empreendedor: o que é protótipo

Glossário do empreendedor: o que é 'growth hacking'

Glossário do empreendedor: indicadores financeiros

Glossário do Empreendedor: o que é Internet das Coisas

Glossário do empreendedor: o que é store in store

Glossário do empreendedor: o que é crowdsourcing

Glossário do empreendedor: o que é uma incubadora

Glossário do empreendedor: o que é Empresa B

Glossário do Empreendedor: o que é Kick-Off Meeting

Glossário do empreendedor: o que é due diligence

Glossário do empreendedor: o que é break-even

Glossário do Empreendedor: o que é transmídia?

Glossário do Empreendedor: o que é Cobranding?

Glossário do empreendedor: O que é pivotar

Glossário do empreendedor: o que é holding?

Glossário do Empreendedor: o que é Freemium?

Glossário do Empreendedor: o que é benchmarking?

 

IMAGEM: Thinkstock






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade