Gestão

Distrital São Miguel da ACSP se empenha em melhorias estruturais


Atual reforma do calçadão de São Miguel Paulista (foto), na Zona Leste, tem como objetivo a prevenção de enchentes que todos os anos prejudicam comerciantes da região


  Por Mariana Missiaggia 14 de Agosto de 2020 às 13:54

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


A atual reforma do calçadão de São Miguel Paulista, na Rua Serra Dourada, na Zona Leste de São Paulo, marca mais uma conquista do trabalho que vem sendo realizado pela Distrital São Miguel Paulista, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

O endereço concentra o maior número de estabelecimentos comerciais do bairro com grande diversidade de lojas, desde âncoras até pequenos negócios familiares. Em períodos chuvosos, os episódios de enchentes são repetitivos no local e costumam deixar grandes prejuízos aos comerciantes locais.

Perdas de estoque e equipamentos, interdições, dificuldade de acesso são algumas das preocupações recorrentes.  

Acompanhando de perto o dia a dia do comércio, Fernando José Velucci, diretor superintendente da Distrital São Miguel Paulista, diz que o novo calçadão no centro de São Miguel Paulista melhora o acesso ao centro comercial. A acessibilidade, segundo Velucci, é essencial para criar concentração de consumidores.

“Somos uma ponte entre os lojistas e a Prefeitura. Como comerciante local conheço bem as necessidades de ativação comercial”, diz. “Pleiteamos a recuperação do calçadão e finalmente, a conquistamos”.

Essa e outras intervenções são amplamente discutidas em reuniões semanais promovidas pela Distrital, segundo Velucci. Conforme publicado no Diário Oficial da Cidade, o centro de São Miguel Paulista passará por uma reformulação viária.

Considerada uma das regiões com maior índice de atropelamentos na cidade, a nova configuração deve priorizar o espaço para pedestres e o transporte público em um perímetro que engloba a estação da CPTM, o calçadão de comércio na Rua Serra Dourada, o Mercado Municipal e a Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, chamada Praça do Forró.

As medidas de moderação de tráfego incluem extensões do passeio, ilhas de refúgio, rebaixamento de guias, melhorias na acessibilidade, pavimentação, drenagem, iluminação, sinalização e paisagismo.

A Avenida Marechal Tito, importante eixo comercial do bairro por onde passam 40 linhas de ônibus, apresenta calçadas muito estreitas causando uma competição estre veículos e pedestres.

POLO VAREJISTA

São Miguel é considerado um dos maiores polos varejistas da capital, segundo a pesquisa Polos Varejistas de Rua da Cidade de São Paulo, realizada pela ACSP e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, concentrando lojas de vários segmentos. Velucci destaca que a mesma pesquisa indica o comércio de rua de São Miguel como o terceiro maior no ranking da cidade.

Ativa há quase 40 anos com o objetivo de apoiar os negócios da região que compreende, a Distrital São Miguel abriga um posto da cooperativa Sicredi, que tem sido um ponto de acesso a crédito para os donos de negócios da região nesse período de crise.

Velucci diz ter trabalhado na divulgação do cooperativismo de crédito como alternativa às altas taxas das instituições financeiras. “Um grande benefício aos associados ter como alternativa o crédito cooperativo com custos bem menores que os praticados pelos bancos”.

Além de orientar sobre todos os protocolos para retomada das atividades, como a oferta de máscaras descartáveis para clientes, a Distrital tem trabalhado para preparar o comércio em relação às vendas e gestão de estoque, especialmente em data comemorativas, como as compras de fim de ano.

“Infelizmente, acredito que teremos um ano limitado. O consumo de Natal, por exemplo, deve retroceder e essa timidez do consumidor não pode quebrar nossos comerciantes. Os lojistas precisam estar preparados.”

INSTALAÇÕES DA DISTRITAL SÃO MIGUEL GANHARAM MELHORIAS QUE FACILITAM
O ATENDIMENTO AOS EMPRESÁRIOS LOCAIS

MODERNIZAÇÃO

Para reforçar seu posicionamento como ponto de informação e serviços ao alcance do empreendedor, em 2019 a ACSP decidiu pôr em prática o processo de transformação e modernização das distritais para adaptar o atendimento às mudanças do mercado.

Em andamento, a reconfiguração do espaço físico da Distrital São Miguel, cuja área de abrangência compreende São Miguel Paulista, Ermelino Matarazzo, Guaianases, Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, Itaquera e parte de São Mateus, pretende ampliar o espaço para encontros de negócios entre os empreendedores da região.

Além do novo leiaute arquitetônico, o projeto traz novidades. Como os postos da cooperativa Sicredi, para oferecer crédito em condições especiais aos associados que precisam de um empurrão nos negócios.

Com o Balcão do Empreendedor e o posto avançado da Jucesp, empreendedores locais passaram a resolver num só lugar questões do dia a dia, como abertura e fechamento de empresas, emissão de certificado digital e de origem, além de mediação e arbitragem de conflitos, sem necessidade de grandes deslocamentos.

"Quanto mais próximas as distritais estiverem dos empresários do entorno, maior o fortalecimento do comércio de bairro junto a seu público-alvo", diz Roberto Mateus Ordine, 1º vice-presidente da entidade e coordenador-geral das distritais da ACSP.

LEIA TAMBÉM:

Distrital Oeste da ACSP busca democratizar o acesso ao crédito

Distrital Centro da ACSP atua pela sobrevivência de negócios locais

Comércio de bairro ganha força com ajuda das distritais da ACSP

 

IMAGEM: Prefeitura de São Paulo/divulgação