Gestão

Conheça as profissões mais procuradas pelas empresas


Levantamento da consultoria Michael Page revela os 17 cargos mais procurados em posições de média e alta gerência no primeiro semestre


  Por Redação DC 23 de Agosto de 2018 às 11:21

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Profissionais que atuam em planejamento financeiro, inovação e transformação digital, em atividades estratégicas de recursos humanos e da área comercial estão em alta no mercado.

Habilidades que favorecem os negócios no ambiente digital, capacidade de gestão de projetos, gosto pelo planejamento financeiro e orçamentário e boa desenvoltura em relacionamentos estão entre as características mais buscadas pelas empresas neste primeiro semestre.

Veja o que diz Ricardo Basaglia, diretor-executivo da Michael Page, consultoria global de recrutamento de média e alta gerência, parte do PageGroup Brasil:

*O mapa corporativo do Brasil, que inclui eixo Rio-São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e parte do Nordeste, está sendo impactado positivamente pela forte transformação digital de todos os setores da economia. Profissionais da linha de frente desse movimento estão em alta.

*Os departamentos de RH estão novamente aquecidos, tanto pelas razões estratégicas de contratação de pessoas, quanto para acolher a expansão de outras áreas.

*E mais dois setores tiveram forte expansão neste primeiro semestre: os cargos ligados à gestão financeira das companhias e algumas posições da área comercial completam as posições em alta. Em uma analogia simples, quando o mercado volta a crescer, é natural que funções de Finanças, Recursos Humanos e Vendas liderem o processo 


Veja abaixo os cargos mais demandados no primeiro semestre:

1 - Supervisor de TI

O que faz: o supervisor de tecnologia não só garante os bom funcionamento dos equipamentos, mas atua buscando formas de usar a tecnologia para impactar positivamente as áreas e o resultado como um todo

Perfil: hoje, profissionais de TI precisam cada vez mais entender sobre o negócio da empresa, participar e conhecer o planejamento das áreas.

Remuneração: R$ 9 mil a R$ 11 mil

Motivo para alta neste semestre: a demanda neste momento é por profissionais multitarefas, com alto poder de comunicação e influência no ambiente corporativo.


2 - Coordenador de FP&A (Planejamento e Análise Financeira)

O que faz: sua maior exigência é a alta capacidade de relacionamento interpessoal para se conectar a diferentes áreas da empresa, além de boa comunicação e um segundo ou terceiro idioma. É tipicamente o backup (reserva de segurança) direto do controller.

Perfil: ser capaz de analisar o resultado da empresa e propor melhorias baseadas em cenários financeiros são os maiores desafios da posição.

Remuneração: R$ 10 mil a R$ 15 mil

Motivo para alta neste semestre: as transações dentro do universo de finanças sofrem grande impacto durante a crise, e ainda não viram o volume de posições ser retomado. Porém, áreas estratégicas são atualmente uma necessidade crítica dentro das empresas.

3 - Coordenador de Compras

O que faz: responsável pelo planejamento e negociação de insumos comprados por empresas ou indústrias.

Perfil: hoje precisam ser mais engajados nos negócios da empresa e são os principais agentes na redução de custo, tema central nas companhias.

Remuneração: R$ 8 mil a R$ 11 mil

Motivo para alta neste semestre: as empresas buscaram reforçar seus times de compras tentando melhores negociações, mais controles no processo e uma gestão estratégica dos investimentos.


4 - Coordenador/ Especialista de M&A – fusões e aquisições
nos mercados de Energia, Saúde, Imobiliário

O que faz: em épocas de baixa de mercado, oportunidades de compra e venda se esfriam, porém, em momentos de retomada e confiança, essas oportunidades crescem tremendamente.

Perfil: precisa ser muito capaz e possuir grande profundidade técnica, ter números e conhecimento de mercado na ponta da língua e uma visão de negócios acima da média.

Remuneração: R$ 10 mil a R$ 15 mil

Motivo para alta neste semestre: com isso, profissionais que são muito competentes para analisar, avaliar e efetivamente conduzir processos de M&A são bem requisitados por segmentos que estão aquecidos.


5 - Coordenador ou gerente de Transformação Digital

O que faz: colabora para a transformação digital na empresa instaurando um marketing voltado para desempenho e resultados, com foco em mídias online.

Perfil: profissionais não necessariamente com formação em marketing. O mais importante é que tenham habilidades em Exatas e boa capacidade para gerenciar o ROI do departamento.

Remuneração: R$ 12 mil a R$ 18 mil

Motivo para alta neste semestre: empresas de todos os setores da economia estão em processo de transformação digital, na maior parte dos casos, com foco na experiência do usuário. Esse profissional passa a ser essencial nessa fase de mudança. E deverá permanecer em alta até a consolidação desse processo.


6 - Gerente de Vendas Canal Indireto (Segmento: Bens de Consumo)

O que faz: responsável pelos resultados dos distribuidores e sua força de vendas, e tem o desafio de motivar, treinar e gerenciar indiretamente a força de vendas dos distribuidores e/ou atacados.

Perfil: capaz de influenciar e convencer a força de vendas, com foco em priorizar a linha de produtos da respectiva empresa e garantir que os times atuem de forma estratégica no ponto de venda. Importante: devido à extensão do território nacional e alto número de pequenos varejos espalhados no país, uma das poucas soluções para garantir a presença nacional é a parceria com esses distribuidores.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil

Motivo para alta neste semestre: as empresas de consumo estão demandando profissionais mais qualificados para atender esse canal, devido à complexidade das negociações com empresários que muitas vezes comandam distribuidoras com porte e faturamento superior as próprias indústrias.


7 - Gerente de Vendas – Segmento Energia

O que faz: responsável por identificar as oportunidades de negócio com geração, distribuição ou transmissão de energia.

Perfil: capacidade de planejar, treinar, avalia e motivar o time de vendas.
É uma posição vital para a sobrevivência e o crescimento da empresa.

Remuneração: R$ 18 mil a R$ 25 mil

Motivo para alta neste semestre: o mercado de energia está cada vez mais competitivo por isso várias empresas do setor estão se movimentando para aproveitar essa oportunidade. Percebemos posições dentro do segmento do mercado livre de energia, fabricantes de equipamentos e também as empresas EPCistas desenvolvendo soluções de engenharia para geração, distribuição e transmissão de energia.


8 - Gerente de Desenvolvimento de Novos Negócios (Logística)

O que faz: atua com o desenvolvimento de negócios multimodais (articulação entre vários canais de transporte).

Perfil: neste momento o setor precisa de profissionais com experiência em desenvolver negócios logísticos em multimercados, orientados para aumentar o número de clientes e elevar a margem de lucro das companhias.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil

Motivo para alta neste semestre: os operadores logísticos sofreram com a crise desde o ano passado, pois as grandes contas diminuíram o volume ou prorrogaram o prazo de pagamento. Por conta desse cenário, as empresas diversificaram suas áreas de atuação e atacaram os clientes de médio porte oferecendo soluções customizadas.


9 - Gerente de Canais (Tecnologia)

O que faz: qualifica, treina, desenvolve e apoia os parceiros de negócios para atendimento aos clientes na região.

Perfil: capacidade de gerar expansão comercial, criar estratégias e políticas comerciais para canais de vendas de serviços. É importante prever plataformas de ofertas e plataformas digitais.

Remuneração: R$ 12 mil a R$ 18 mil

Motivo para alta neste semestre: desde o ano passado aumentou significativamente o número de empresas que vieram para o Brasil com a necessidade de atuar por meio de canais e outras com a exigência de mudar a operação do país e, assim, começar a atuar em formato de parceria.


10 - Gerente de Assuntos Regulatórios

O que faz: entre outras demandas, cumprir os requisitos formulados pela ANVISA para os processos de registro, reunindo a documentação necessária. É fundamental informar a empresa sobre a publicação de qualquer registro, renovação ou alteração. Terá de apoiar outras áreas da empresa em questões regulatórias.

Perfil: Farmacêuticos e Químicos que optaram por uma carreira corporativa e técnica.

Remuneração: R$ 16 mil a R$ 22 mil

Motivo para alta em 2018: as empresas estão em fase de lançamentos de produtos e renovação de registros. Estão lidando com muitas cobranças das áreas técnicas e regulatórias.


11 - Gerente de Operação de Franquias

O que faz: gerencia o grupo de franquias trazendo processos de gestão e acompanhamento de resultados onde busca-se a coerência no modelo de operação.

Perfil: profissionais com experiência em franquias com capacidade de gerenciar grandes times com significativo volume de informações.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil

Motivo para alta em 2018: muitas empresas expandiram o número de franqueados nos anos anteriores e agora precisam manter o ritmo da operação.


12 - Gerente de Crédito

O que faz: é responsável pelos pilares de modelagem, cobrança e políticas internas. Desenvolve e gerencia as estratégias dos produtos de crédito em linha com as diretrizes da instituição financeira, sempre buscando mitigar riscos de mercado, liquidez e operacional.

Perfil: profissionais com background voltado em instituições financeiras, com perfil analítico e de execução.

Remuneração: R$ 16 mil a R$ 20 mil (considerando uma reunião mensal), dependendo do porte da empresa.

Motivo para alta em 2018: com a crise e altos índices de inadimplência no mercado, as instituições financeiras estão tendo que redefinir suas políticas e estratégias de crédito procurando mitigar riscos e melhores práticas de mercado.


13 - Gerente de Planejamento Financeiro

O que faz: é responsável por consolidar resultados corporativos, elaborar orçamento e previsão de vendas, fazendo interpretações e relatórios sobre variações e atingimento de metas para a diretoria ou matriz.

Perfil: geralmente mais sofisticados, com conhecimento fluente de outros idiomas como inglês e espanhol, além de boa formação acadêmica. Do ponto de vista comportamental, são profissionais que complementam o perfil analítico tradicional de finanças, com competências de influência, boa comunicação e relacionamento interpessoal.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 35 mil

Motivo para alta em 2018: após um período de crise, as empresas concentraram-se na organização de processos, melhoria do compliance e redução de custos. Neste ano, as companhias voltaram a pensar em seus objetivos de médio prazo, fazendo análises de novos produtos e serviços a serem lançados nos próximos anos.


14 - Head de Recursos Humanos (Diretor/Gerente)

O que faz: primeira pessoa de RH, responsável pela implantação da área, principalmente Talent Management. Definição de cultura e valores e rápido retorno ao negócio.

Perfil: mentalidade de business partner e perfil de análise. Experiência em empresas com alta maturidade de RH e vivência em estruturação de produtos.

Remuneração: R$ 20 mil a R$ 30 mil

Motivo para alta em 2018: quem puxou o crescimento dessa posição foram as startups, com o aporte de investidores.


15 - Controller

O que faz: responsável pelos controles financeiros e relatórios da companhia, garantindo que os processos das áreas envolvidas estejam alinhados e funcionando da melhor forma.

Perfil: as atividades variam muito entre empresas e, geralmente, envolvem rotinas voltadas às áreas de contabilidade, controladoria, planejamento financeiro e também acompanhamento de processos internos.

Perfil: normalmente profissionais que tenham iniciado sua carreira em posições contábeis ou de controladoria. Apresentam perfis técnicos e bastante analítico.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 35 mil

Motivo para alta em 2018: Empresas que enfrentaram a necessidade de diminuir cargos importantes durante a crise dos últimos anos vem apresentando um crescimento importante, aumentando a necessidade de buscarem profissionais sêniores e com visão mais abrangente.


16 - CFO – Diretor de Finanças

O que faz: é o responsável por gerenciar as operações financeiras e mitigar os riscos do negócio, dando suporte direto no desenvolvimento de estratégias para a empresa e contribuindo na tomada de decisões. Normalmente, as áreas de controladoria, contabilidade, planejamento financeiro, tesouraria e auditoria ficam sob sua gestão.

Perfil: profissionais que já tenham tido experiência sólida em alguma área de finanças, como tesouraria ou planejamento financeiro, e que ao longo de sua carreira foi agregando mais funções ao cargo. Este profissional costuma chegar à cadeira de diretoria por ter uma visão ampla e estratégica do negócio, bom relacionamento interpessoal, além de boa formação e conhecimento de idiomas.

Remuneração: R$ 20 mil a R$ 80 mil

Motivo para alta em 2018: ao longo dos últimos 10 anos notamos que o perfil demandado do CFO teve modificações, onde as empresas passaram a demandar um profissional que tenham um background sólido em controles e processos, por exemplo. Com a retomada de mercado, entende-se que o CFO com visão mais estratégica e voltado ao negócio também volte a ser requisitado.


17 - Sócio de Contencioso Cível – Direito

O que faz: coordena equipes de advogados processualistas e atua com profundo conhecimento técnico na esfera cível. Além disso, normalmente, é responsável por captar clientes e manter a relação próxima a estes. Muitas vezes também devem cuidar de atividades administrativas do escritório.

Perfil: neste momento as empresas buscam profissionais de perfil bastante sênior, tanto com experiência técnica de longo período como com excelente leitura de mercado e relação com clientes e profissionais de sua área. É uma posição que exige alta influência.

Remuneração: R$ 20 mil a R$ 50 mil

Motivo para alta em 2018: em momentos de crise e de baixa circulação de dinheiro, a tendência é que os conflitos e as disputas aumentem, o que gera também mais processos. E como ainda vivemos um momento de instabilidade econômica e política, a posição está em alta.

IMAGEM: Thinkstock