Gestão

Com um evento por dia, distritais atraem 50 mil pessoas


As 15 sedes distritais possibilitam que a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) alcance cada região da metrópole paulistana


  Por Redação DC 20 de Novembro de 2017 às 08:00

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


A difusão das culturas do associativismo e do empreendedorismo estão entre as principais missões da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que ao longo dos seus quase 123 anos de história tem conseguido cumprir tais objetivos com o apoio de seus braços regionais, as sedes distritais.

Na segunda-feira (13/11), os representantes das quinze distritais da ACSP puderam expor suas realizações de 2017 durante reunião plenária.

Desde o início do ano, elas realizaram 151 reuniões ordinárias e promoveram 356 eventos, dos quais participaram quase 50 mil pessoas. O número crescerá até o final do ano.

Foram cinco audiências públicas que usaram as estruturas das distritais para debater temas com ciclovias e licença de funcionamento. Todos os prefeitos regionais estiveram presentes em algumas das sedes.

Neste ano também foi realizado o 1° Seminário das Distritais, que reuniu 154 pessoas entre superintendentes, vices e coordenadores. Por meio dos seus braços regionais, a ACSP homenageou 340 pessoas e 38 empresas.

Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), lembrou da atuação das equipes das distritais na tentativa de convencer o legislativo paulista a derrubar a lei que instituiu a obrigatoriedade de carta com aviso de recebimento (AR) para informar o consumidor sobre a negativação do nome.

“As distritais são o coração da ACSP, e isso ficou evidente no esforço que estão fazendo para derrubar o AR”, disse Burti, lembrando que os dirigentes das distritais são voluntários, que abrem mão das atividades em suas empresas para dedicarem parte do tempo à ACSP e suas causas.

Os superintendentes das distritais aproveitaram a reunião para entregar um manifesto a Burti declarando apoio total às decisões do presidente que envolvam mudanças na estrutura administrativa da ACSP.

O encontro também serviu para debater sobre os problemas enfrentados atualmente pelos microempresários, que têm dificuldades para obter financiamento e estão com dívidas.

Segundo Giacinto Cosimo Cataldo, vice-presidente da ACSP e coordenador das distritais, o nível de endividamento tem preocupado os pequenos empresários, principalmente com relação às dívidas junto ao fisco.

“A carga de impostos é insuportável. O governo federal fez um Refis para os grandes, mas os pequenos estão em dificuldades. É o que sinto conversando com empresários nas distritais”, disse Cataldo.

DIRETORES SUPERINTENDENTES DAS 15 DISTRITAIS APRESENTARAM AS AÇÕES REALIZADAS EM 2017

DISTRITAL CENTRO

Luiz Alberto Pereira da Silva, diretor superintendente da distrital Centro da ACSP, disse que ao longo de 2017 sua regional atendeu cerca de 20 mil pessoas.

As audiências de conciliação realizadas em parceria com o Tribunal de Justiça chegaram a 6,8 mil. O programa Despertar e Caminhar, elaborado pelo Centro de Aprimoramento Profissional (Camp), formou 150 jovens.

A distrital Centro realizou 32 palestras, das quais participaram mais de 1,3 mil pessoas, e organizou seis encontros de negócios, com a presença de 932 empresários da região.

Segundo Pereira da Silva, um levantamento feito pelas entidades do centro de São Paulo mapeou mais de 100 mil CNPJs na região. “Esses comerciantes estão reclamando de abandono, a maioria não pertence a nenhuma associação, estão sem direção. Temos de traze-los para a ACSP”, disse o diretor da distrital Centro.

Ele propõe a criação de postos avançados mais próximo dos comerciantes. Para 2018, prevê um posto avançado no bairro do Bom Retiro.

Também para o ano que vem está nos planos da distrital Centro a criação de uma aceleradora de startup, que deve acelerar cinco empresas, a realização de cursos sobre moedas digitais e uma parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social para qualificar os usuários do bolsa família, visando a recolocação desse público no mercado de trabalho.

DISTRITAL OESTE

Carlos Carrizo Prisco, diretor superintendente da Distrital Oeste, destacou a integração realizada ao longo do ano com outras entidades locais, firmando um protocolo de intenções visando melhorar a região, facilitar o empreendedorismo e melhorar a mobilidade urbana.

A revitalização de parques e o cemitério da Lapa também foram ações propostas para 2018. Ainda faz parte dos planos da distrital Oeste um trabalho para reabrir o parque Vilas-Bôas, na Vila Leopoldina, fechado desde 2015. “Conseguimos 5 mil assinaturas pedindo a reabertura”, disse Prisco.

A distrital realizou em 2017 nove encontros com palestras sobre gestão e empreendedorismo voltadas aos jovens. Também foram realizados workshops em parcerias com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Sebrae e o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (Sescon). Esta última, abordando o Simples Nacional.

DISTRITAL CENTRO-SUL

A distrital Centro-Sul está organizando grupos setoriais do setor de serviços, com corretores de imóveis, contabilistas, entre outros, para facilitar os trabalhos, informou Osmar Pereira Machado Júnior, diretor superintendente da distrital.

Entre as ações realizadas em 2017, Machado Júnior destaca reunião realizada com o secretário municipal de segurança para tratar do City Câmera, projeto da prefeitura que pretende implantar 10 mil câmeras na cidade para inibir ações criminosas.

O posto da Junta Comercial que funciona na distrital Centro-Sul realizou 500 atendimentos. Também foram emitidos 300 certificados digitais na regional da ACSP

Outra ação destacada foi a 11° Feira da Saúde, que atendeu quase 2 mil pessoas carentes.

DISTRITAL PENHA

Roberto José Korsakas, diretor superintendente da distrital Penha, disse que em 2017 apostou nas reuniões itinerantes pelos bairros para conquistar novos empresários associados.

Ele também disse que a equipe da distrital está trabalhando com a Porto Seguro e a prefeitura regional da Penha para inserir a região em um aplicativo usado pela população para informar ao poder municipal os problemas existentes no local, a exemplo do que já existe no Centro da cidade.

Korsakas também destacou as rodadas de negócios realizadas por sua equipe como meio para atrair novos associados.

DISTRITAL IPIRANGA

Os trabalhos em conjunto com a prefeitura regional foram enfatizados por Sérgio Yamada, vice-superintendente, que representou o diretor superintendente Dalton Suares Pires na reunião plenária. A prefeitura, disse ele, fez a prestações de contas na distrital este ano.

Yamada destacou ainda a realização de palestra sobre licença de funcionamento, reuniões sobre mediação e arbitragem e aulas sobre fluxo de caixa em parceria com o Sebrae.

Para 2018, a distrital Ipiranga pretende investir nas reuniões itinerantes, de bairro em bairro.

DISTRITAL PINHEIROS

Roberto Manin Frias, ex-superintendente, representou o diretor superintendente Humberto Luiz Dias pela distrital Pinheiros. Ele falou do sucesso do Salão de Artes deste ano, realizado na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), com o apoio da distrital.

“Fechamos parceria com o Metrô e a CPTM para divulgar as obras que foram expostas. É no salão que conseguimos identificar novos talentos artísticos”, disse Frias

A distrital Pinheiros realizou oito reuniões ordinárias. Entre os eventos destacados, aparece o dia internacional do motociclista, que contou com 230 pessoas presentes.

DISTRITAL MOOCA

Carlos Castan, diretor superintendente da distrital Mooca, apresentou os números de alguns dos eventos realizados pela sua equipe. As três palestras realizadas no ano pelo seu Núcleo de Negócios reuniram cerca de 240 pessoas. Outros 230 participantes prestigiaram o 2° Encontro Histórico Cultural organizado pela distrital.

1,4 MIL PESSOAS PARTICIPARAM DO 13° ENCONTRO
DE EMPRESÁRIOS DA ZONA LESTE

Por meio do Projeto Rumo, do Estado de São Paulo, do qual a distrital Mooca faz parte, 100 jovens receberam orientação profissional. Castan também foi um dos organizadores do 13° Encontro de Empresários da Zona Leste, que reuniu 1,4 mil pessoas.

Para 2018, ele disse que os empresários da Mooca querem priorizar a acessibilidade das ruas da região.

DISTRITAL SÃO MIGUEL

A distrital São Miguel realizou ao longo de 2017 praticamente um evento por mês, segundo o diretor superintendente Claudionor Corrêa Leão. Ele também destacou reuniões realizadas com profissionais contábeis e com agentes do Sebrae.

Agora em dezembro, segundo Leão, a distrital irá organizar uma feira de produtos orgânicos no bairro.

DISTRITAL NORDESTE

Carlos Daniel Gonçalves, diretor superintendente da distrital Nordeste, disse que o foco das suas ações foi promover eventos que desenvolvessem o empreendedorismo na região, como palestras, almoços de negócios e workshop.

“Buscamos atuar como agente transformador, fomentando o empreendedorismo e o associativismo, difundindo a ideia de parcerias”, afirmou Gonçalves.

Entre os eventos realizados pela distrital Nordeste, o superintendente destaca almoços com o presidente da cooperativa de crédito Sicredi e também com a criadora do Lady Driver, um aplicativo semelhante ao Uber, mas só para mulheres.

DISTRITAL SUDESTE

A distrital Sudeste comemorou em 2017 seus 50 anos de existência. Anis Kfouri Júnior, seu diretor superintendente, disse que neste ano a distrital serviu de canal de diálogo entre a população e o poder público.

Ele citou a audiência pública sobre as ciclovias. “Independentemente dos nossos interesses, todos os lados envolvidos com esse tema foram ouvidos”, disse Kfouri Júnior.

DISTRITAL NOROESTE

Valnoy Pereira Paixão, diretor superintendente da distrital Noroeste, disse que sua equipe realizou diversos encontros de negócios que tiveram participação média de 60 pessoas.

Essas reuniões devem ser um dos focos no próximo ano porque, segundo Paixão, elas têm maior potencial para captar novos associados para a ACSP.

Ele enfatizou a atuação dos Conselhos de Política Urbana, dos Jovens Empreendedores e da Mulher Empresária como pontos fortes da distrital Nordeste em 2017.

DISTRITAL SUDOESTE

Ricardo Aparecido Granja dos Santos, diretor superintendente da distrital Sudoeste, chamou a atenção para os sérios problemas econômicos e culturais existentes na região onde atua. Nesse contexto, a distrital organizou a Jornada Cultural em parceria com o shopping Butantã. Também foi realizado o 5° Fórum de Desenvolvimento Regional, com 450 empresários da região.

Em um período de crise, Santos destacou os cortes de gastos realizados na distrital. Segundo ele, o aluguel foi reduzido em 25%. Também foram encontradas outras formas de captar recursos, como a locação de espaços da distrital. “Fizemos 14 locações de espaços por onde já passaram mais de 3 mil pessoas, o que também deu visibilidade à distrital”, disse Santos.

DISTRITAL NORTE

Na distrital Norte, as palestras realizadas em 2017 estiveram sempre lotadas, segundo Luís Carlos Ferreira Eiras, diretor superintendente. Um evento sobre reforma da Previdência recebeu mais de 100 pessoas. A apresentação do AC Formaliza, serviço da ACSP para facilitar a liberação de licença de funcionamento, levou 132 convidados à distrital Norte.

Outro tema atual, a reforma trabalhista, foi debatido no local com a parceria da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Mais de 80 pessoas estavam na plateia.

Em 2017 a distrital Norte criou as comissões de Jovens Empreendedores e de Política Urbana.

DISTRITAL SUL

Luiz Augusto Gonçalves Barbosa, diretor superintendente da distrital Sul, lembrou que este ano foi implantada a Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem (CBMAE) em sua distrital. Segundo ele, foram realizados 60 acordos de conciliação até o momento.

A distrital Sul passou a abrir todas as quartas-feiras para reuniões com associados, empresários e entidades parceiras, o que rendeu novos associados para a ACSP.

DISTRITAL TATUAPÉ

Depois de muitos anos, a distrital Tatuapé da ACSP voltou a organizar, em 2017, o aniversário do bairro, lembrou José de Paiva, seu diretor superintendente.

Ele disse que na região há 4 mil corretores de seguro, um público que pretende trazer para distrital em 2018. Outro desafio será convencer o poder municipal a criar uma prefeitura regional para o Tatuapé, que hoje é administrada pela regional da Mooca

 IMAGENS: Divulgação