Gestão

Black Friday Legal 2015: curso oferece certificação para pequenas lojas virtuais


Nesta quarta (12/08) será realizada segunda edição do evento que difunde boas práticas de e-commerce para pequenas lojas virtuais que quiserem obter selo de credibilidade


  Por Karina Lignelli 11 de Agosto de 2015 às 19:27

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


Ainda dá tempo: os pequenos e-commerces que pretendem participar da edição 2015 da Black Friday, que será realizada em 27 de novembro, terão capacitação gratuita nesta quarta-feira (12/08) para conquistar o selo Black Friday Legal.  

A ideia é prepará-las dentro das boas práticas do e-commerce para diminuir as reclamações dos consumidores junto ao Procon, que identificaram todo o tipo de fraude - como maquiagem de preços, por exemplo.  

A iniciativa da capacitação, realizada pela Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com a Braspag (ferramenta de pagamentos da Cielo), tem como objetivo mostrar como adaptar lojas à legislação brasileira do e-commerce e prepará-las para a maior data em vendas da internet. 

Palestras sobre planejamento, logística, meios de pagamento e marketing digital, além do workshop “Aspectos legais e código de ética do BFL” serão alguns dos temas abordados por especialistas do Sebrae, Correios e do BNDEs, além dos dois organizadores.
   
O conhecimento adquirido pode ser um diferencial para se destacar frente aos concorrentes, “especialmente no momento econômico atual”, afirma Gastão Mattos, CEO da Braspag. 

LEIA MAIS: Veja as 4 principais ferramentas para fisgar seus clientes na internet

“O que elas (as lojas virtuais) aprenderem poderá ser aproveitado não apenas nas promoções, mas em seus negócios durante o ano todo”, completa Ludovino Lopes, presidente da camara-e.net.  

Para participar da capacitação, as lojas virtuais interessadas podem se inscrever no site do BFL 2015, com a opção de acompanhar pela internet ou presencialmente, com limite de 60 vagas.  

Vale lembrar, porém, que a capacitação é apenas um dos requisitos para obtenção do selo, que atesta que a loja assinou o código de ética, se comprometeu a praticar ofertas reais e entregar o produto no prazo.  Confira os requisitos a seguir: 

Segundo a camara-e.net, em 2013, quando surgiu o BFL, foram certificadas 123 empresas. Em 2014, foram 471. Para este ano, a projeção da Câmara é capacitar mais de mil pequenos e-commerces. A terceira e última capacitação para participar da próxima Black Friday será realizada em 24 de setembro.  

BOA SURPRESA PARA O VAREJO?

Apesar do varejo em queda, a expectativa em relação à edição 2015 da Black Friday pode ser uma alternativa aos lojistas para vender e desovar estoques.

Pedro Eugênio, fundador do site Busca Descontos – que trouxe a Black Friday para o calendário do e-commerce brasileiro em 2010 e criou o portal oficial da promoção – afirma que, mesmo sem repetir os 48% de crescimento de 2014 (medido pela ClearSale, a pedido do site), a expectativa é uma alta de 20% a 30% na data.  

Duas coisas, portanto, estão previstas para justificar essa projeção de aumento as vendas. Uma é que as lojas estão cheias de estoque, e a data será ideal para dar vazão a ele. 

A outra é que, assim como no ano passado, o consumidor aproveitará as promoções para garantir as compras de Natal.  “A junção disso deve garantir boas surpresas para a Black Friday desse ano”, acredita Eugênio.  

Outra boa perspectiva é que, além de os consumidores terem segurado compras no atual cenário, apenas aguardando descontos e promoções da data, as lojas virtuais estão se preparando com antecedência para o evento. 

E isso inclui a obtenção do selo BFL, que surgiu por meio da parceria entre a Camara-e.net e o Busca Descontos para levar as melhores práticas e evitar que a data virasse uma “Black Fraude”. 

Levantamento da ClearSale (empresa especializada em detecção e prevenção de fraudes na internet), parceira do site Busca Descontos, mostra isso: na edição 2014, mais de R$ 3,058 bilhões em perdas por transações indevidas foram evitadas como resultado da difusão das melhores práticas.   

LEIA MAIS: As novas táticas do comércio eletrônico para segurar os clientes

“O ano de 2014 foi o ponto de virada: as fraudes foram massacradas na internet e nas redes sociais. Quem foi transparente e ofereceu ofertas reais viu que o consumidor comprou como nunca. Hoje, a data não é só uma realidade consolidada no e-commerce, mas também no varejo físico”, acredita o fundador do Busca Descontos.  

Foto de abertura: Thinkstock   Arte: William Chaussê