Gestão

6 práticas para aumentar o engajamento nas redes sociais


Medidas simples e práticas de marketing digital podem ajudar pequenos negócios que atuam em nichos de mercado a propagar o nome da marca


  Por Italo Rufino 29 de Março de 2018 às 08:00

  | Repórter isrufino@dcomercio.com.br


Em meados de 2014, em meio à onda dos food trucks em São Paulo, o empreendedor Danilo Gomes criou um negócio que uniu duas de suas paixões: cerveja artesanal e a Kombi, clássico modelo produzido pela Volkswagen entre 1950 e 2013.

Nascia a Kombier, loja que operou de maneira itinerante em eventos na cidade de São Paulo e interior do estado. Com o crescimento do negócio, Gomes decidiu criar uma loja física, que também funciona como bar no bairro do Belém, na zona leste paulista.

A Kombier oferece cerca de 120 rótulos de cerveja artesanais brasileiras e importadas. Por semana, o espaço recebe mais de 200 clientes.

De acordo com Gomes, o ponto forte da loja é o preço baixo. Há cervejas enlatadas que custam R$ 9,50. As que possuem mais giro saem por volta de R$ 25 reais.

Para divulgar os produtos, ele apostou forte nas redes sociais. No Facebook, a marca possui mais de 12 mil seguidores. No Instagram, são cerca de 4,5 mil. Nas páginas da loja é comum ver fotos de clientes abraçados a Gomes.

“Prezamos um atendimento humanizado e muitos clientes acabam virando amigos”, afirma Gomes, que é o responsável por todos os posts. “Naturalmente, eles postam fotos e marcam a Kombier nas redes sociais”.

Semanalmente, Gomes também divulga nas redes os nomes de food trucks de alimentos que estarão estacionados na porta da loja. Uma vez que a Kombier não tem serviço de restaurante, firmar parceria com vans que oferecem comida deixa o ponto mais atrativo.  

Para pequenos negócios, criatividade nas redes sociais pode ser uma boa forma de divulgar a marca numa espécie de boca a boca virtual e tornar a empresa referência em nichos de mercado e de atuação local, como é o caso da Kombier.

Veja outras dicas simples e práticas para angariar seguidores e bombar os canais digitais da empresa.

LEIA MAIS: A onda da cerveja artesanal pegou no Brasil

ITENS EXCLUSIVOS

Oferecer produtos e serviços exclusivos para os seguidores pode reforçar o senso de comunidade, além de demonstrar maior grau de atenção. Dessa forma, o consumidor se sente membro de um clube.

Ao compartilhar imagens de produtos que ainda não chegaram oficialmente as prateleiras, o lojista pode contar sobre o processo de criação do item, o que gera mais curiosidade e, se a fabricação for artesanal, adiciona valor sentimental a mercadoria.

GOMES, DA KOMBIER: FOTOS COM CLIENTES PARA GERAR EMPATIA

DICAS DE MERCADO

A ideia é não falar apenas dos produtos e serviços da marca.

Mas também oferecer conteúdo relevante sobre o universo que o negócio está inserido.

Vale compartilhar vídeos no YouTube, notícias, pesquisas e infográficos.

O Twitter pode ser usado para divulgar pílulas de conhecimento, que são limitadas em 140 caracteres.

Para compartilhar textos mais longos, é recomendado manter um blog, com linguagem e comunicação visual adequada ao posicionamento da marca.

Marcas que atuam no mercado pet, por exemplo, podem dar algumas dicas de cuidados básicos de saúde e higiene, alimentação e lazer para animais.

EXPERIÊNCIA DE CLIENTES

É comum ver nas redes sociais pessoas provando espontaneamente produtos de marcas que geram status ou que mantém uma relação emocional com os consumidores. Essas postagens podem fomentar a imagem da marca no mundo digital, uma vez que espalha o nome da empresa entre os amigos.

Caso a sua marca ainda não tenha conseguido gerar postagens voluntárias, não há problema nenhum em pedir para clientes enviarem fotos ou marcar o nome da empresa em posts com os produtos que adquiriu.

Também é recomendado pedir para os clientes contarem suas experiências com a marca. Essa tática, por exemplo, é usada pela Nubank, empresa queridinha dos jovens insatisfeitos com a burocracia dos grandes bancos.

HASHTAGS

Utilizar hashtags é uma maneira de rastrear posts na infinidade de conteúdo das redes sociais. Quando uma empresa cria ou fomenta hashtags especificas, os termos podem até mesmo virar elemento de marca.

Em setembro de 2017, a marca de vodca sueca Absolut lançou no Brasil a projeto Art Resistance. Houve criação de eventos, música, clipe e de um mural com as cantoras Linn da Quebrada, Assucena Assucena e Raquel Virgínia.

O projeto foi guiado pelo slogan “Quando a arte resiste, o mundo progride”. Desde então, a hashtag #arteresiste, fomentada pela campanha da marca, apareceu em milhares de posts nas redes sociais passou a ser associada a Absolut.

VEJA TAMBÉM: Com revolução das redes sociais, a propaganda se rende à diversidade

OFERTAS EXCLUSIVAS

Criar posts anunciando descontos ou fornecendo cupons promocionais pode ser extremamente eficiente para aumentar o engajamento dos usuários.

Como praticamente todo consumidor gosta de desconto, as chances de o post ter mais curtidas que a média é grande.

Também é comum os usuários marcarem nas postagens amigos (um tipo de aviso para que os conhecidos também tenham acesso ao desconto também).

FREQUÊNCIA CONSTANTE

Caso o consumidor não veja posts da marca passando com frequência em seu feed de notícias, ficará cada vez mais difícil lembrar do negócio na hora das compras.

Então, mantenha uma frequência de publicações. Caso não haja conteúdo autoral para divulgar, a marca pode compartilhar postagens de parceiros, relatos de clientes que recebe via comentários ou mensagens ou eventos que podem ser do interesse do público-alvo.

Desse modo, a marca promoverá não somente seu negócio, mas também compartilhará informações relevantes para seus clientes.

IMAGEM: Thinkstock