Finanças

Tesouro Direto tem resgate líquido de R$ 486,6 mi em setembro


No mês passado, número de investidores que efetivamente possuem aplicações chegou ao patamar recorde de 541.851, o que representa um crescimento de 56%


  Por Estadão Conteúdo 20 de Outubro de 2017 às 12:44

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Com um resgate líquido de R$ 486,6 milhões em setembro, o estoque do Tesouro Direto fechou o mês passado em R$ 47,6 bilhões, uma redução de 0,1% em relação a agosto.

Já na comparação com setembro do ano passado (R$ 36,6 bilhões), o aumento ainda é de 30%.

Foram realizadas 181.163 operações de investimento no programa em setembro, no valor de R$ 1,359 bilhão, de acordo com balanço divulgado nesta sexta-feira, 20, pelo Tesouro Nacional. Já as recompras totalizaram R$ 1,845 bilhão, a maioria (63,7%) em títulos indexados ao IPCA.

No mês passado, número de investidores que efetivamente possuem aplicações chegou ao patamar recorde de 541.851, o que representa um crescimento de 56% em relação a setembro do ano passado. Já o número de participantes cadastrados chegou a 1,662 milhão, o que significa uma expansão de 70,7% nos últimos 12 meses.

As aplicações até R$ 5 mil respondem por 79,8% das vendas no mês passado, sendo que 56% do total tiveram valores inferior a R$ 1 mil. O valor médio das operações em setembro foi de R$ 7.499,40.

"Esses resultados evidenciam a continuidade do processo de democratização do Programa, cada vez mais acessível a pequenos investidores", avaliou o Tesouro.

O título mais demandado em setembro foi o atrelado à taxa Selic, com 54,2% do total vendido, ou R$ 735,9 milhões. Na sequência, aparecem os papéis indexados ao IPCA (29,5%) e os prefixados (16,3%).

FOTO: Thinkstock