Finanças

Recursos do Pronampe esgotam em meia hora no Itaú Unibanco


Primeiro banco privado a oferecer a linha de crédito afirma que 37 mil micros e pequenas empresas fizeram a contratação de forma totalmente remota, via aplicativo no celular


  Por Karina Lignelli 13 de Julho de 2020 às 15:44

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


Em apenas meia hora de oferta nesta segunda-feira (13/07), entre 8h30 e 9h, o Itaú Unibanco terminou de liberar 100% do volume disponível para a linha de crédito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

Os recursos começaram a ser liberados pelo banco na quinta-feira, 09/07, e desde então 70% dos R$ 3,7 bilhões disponíveis para a linha foram disponibilizados, segundo Carlos Vanzo, diretor executivo comercial do Banco de Varejo do Itaú Unibanco.

Já os 30% restantes, que correspondiam a R$ 1 bilhão, foram finalizados na primeira meia hora de operação nesta segunda. "Tivemos ainda um valor extra de R$ 700 milhões, solicitado no final de semana ao Banco do Brasil, administrador da linha, também já totalmente concedido aos nossos clientes neste período”, completa. 

LEIA MAIS:  Dinheiro tem, mas crédito não chega aos pequenos negócios. Entenda os motivos

Ao todo, 37 mil micros e pequenas empresas clientes do Itaú receberam um total de R$ 3,7 bilhões para tentarem minimizar os impactos causados pela pandemia de covid-19.

Diversos empresários, que vinham tentando solicitar o crédito desde a última quinta relataram mensagens de indisponibilidade no app do banco, ou de impossibilidade em seguir com a simulação. 

Alguns até foram avisados pelos gerentes das agências onde são correntistas para fazer a solicitação logo cedo, na manhã desta segunda. Porém, o aviso no app era de que as linhas do Pronampe não estavam mais disponíveis. Alguns gerentes ligaram de volta para avisar que o recurso havia sido "consumido" em meia hora. 

De acordo com Vanzo, a preocupação inicial do banco foi disponibilizar aos clientes uma experiência totalmente remota nesse período de pandemia, com contratação do crédito direto pelo app Itaú Empresas no celular, evitando a necessidade de o cliente se deslocar até o banco.

"Tivemos alguma instabilidade nos sistemas em razão do alto volume dessa demanda, mas, ainda assim, pudemos disponibilizar um volume recorde de contratações”, afirma o executivo.  

A demanda pelos recursos do fundo garantidor com aval do governo têm tido alta demanda, segundo a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban). Na primeira semana de oferta do Pronampe, encerrada no dia 10 de julho, os bancos contabilizaram empréstimos em torno de R$ 10 bilhões - ou mais da metade dos R$ 18,7 bilhões previstos para financiamentos. O ritmo chegou a R$ 10 milhões por minuto, em alguns bancos.

APOIO A EMPRESAS

Desde o início da pandemia, o Itaú tem trabalhado para auxiliar empresas em duas grandes frentes: com apoio emergencial via iniciativas do governo, e com apoio estrutural por meio do Programa Travessia.

Até o momento, mais de 1,2 milhão de salários foram financiados em operações feitas pelo Itaú na linha de crédito emergencial que custeia folha de pagamento, em um volume de R$ 1,6 bilhão. Além disso, 2,1 milhões de clientes receberam R$ 1,8 bilhão referente ao Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e Renda.  

“Estamos fazendo uma análise profunda do perfil desses clientes para que possamos oferecer os recursos de forma sustentável, garantindo a manutenção dos negócios e empregos, mas ao mesmo tempo evitando o superendividamento das empresas”, afirma Vanzo.

Por meio do Programa Travessia, o banco tem proporcionado alongamentos de dívidas com prazos, carências e taxas diferenciados, além de ofertar mais de R$ 5,2 bilhões em novas concessões de crédito para PMEs com taxas reduzidas e flexibilização de garantias. 

FOTO: Reprodução do site