Finanças

Quem quer ficar milionário com previdência privada?


Com empenho e disciplina é possível, reforça o professor Mauro Calil na terceira reportagem da série sobre o primeiro milhão a partir de R$ 1.520. Porém, é preciso ficar atento à rentabilidade


  Por Karina Lignelli 25 de Março de 2019 às 13:00

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


A saga da conquista do milhão a partir de um investimento de R$ 1.520 continua: na última sexta-feira (22/02), o Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária) acabou notificando a Empiricus Research por conta do grande número de denúncias feitas por consumidores questionando a veracidade dos ganhos após a viralização do polêmico vídeo "Oi, meu nome é Bettina..." nas duas últimas semanas. 

Do lado de cá, o Diário do Comércio dá continuidade à serie de reportagens sobre as possibilidades reais de conquistar o primeiro milhão a partir do agora famoso aporte inicial de R$ 1.520, desta vez investindo em Previdência Privada, conforme mostra o professor Mauro Calil, fundador da Academia do Dinheiro e especialista em investimentos da Ourinvest.  

Adotada por mais de 13 milhões de brasileiros em 2018, segundo dados da Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), tanto pessoas físicas como através de planos empresariais, a modalidade acabou se tornando atraente não só por ser alternativa ao sistema tradicional de aposentadoria - o INSS -, mas também uma forma de poupar hoje para desfrutar, ou pelo menos complementar a renda, num futuro mais ou menos distante.

Hoje, porém, investir nessa modalidade implica algumas considerações, como a polêmica aprovação da Reforma da Previdência no sistema público de aposentadorias, que ainda é alvo de debates e embates. E que, pela indefinição, aliada ao desemprego alto e à queda da Selic (6,5%, o menor valor da série), acabou afastando cerca de 224 mil participantes da modalidade privada em 2018, segundo levantamento da Fenaprevi. 

LEIA MAIS:Menos de 20% dos brasileiros poupam para a aposentadoria

Mas, para os candidatos a milionário que se mantém firmes e fortes investindo num plano de previdência PGBL (para quem faz a declaração completa do IR) ou VGBL (para quem faz a simplificada), há duas sinalizações interessantes.  

A primeira é que, dependendo de como a Reforma for aprovada, o mercado de previdência privada deve crescer, segundo a Fenaprevi, puxada pelo maior apetite por risco das pessoas que detêm planos de previdência, em uma ofensiva para obter retornos melhores e compensar a queda dos juros no País.

CLIQUE PARA LER OUTRAS REPORTAGENS DA SÉRIE

Do Tesouro Direto para o primeiro milhão é (quase) um pulo

Como fazer para conquistar o primeiro milhão (de verdade)

A outra é que, para quem não tem pressa, dá para chegar ao milhão a partir de R$ 1.520 nesse tipo de investimento de longo prazo, conforme reforça Mauro Calil. Sempre levando em consideração as variáveis que podem mudar em um período tão longo, claro - como as próprias taxas de juros. 

"Nesse caso, mais do que taxa de rentabilidade, é a sua disciplina (nos pagamentos) e o aporte que vão fazer a diferença nos dias de hoje", afirma o especialista, que recomenda montar uma carteira de investimentos diversificada, para elevar o potencial de rendimentos e atingir a cifra mais rápido. 

Confira a rentabilidade média e quanto tempo leva para ficar milionário investindo em previdência Privada no vídeo a seguir e... faça suas contas.  

EDIÇÃO E IMAGENS: Will Chaussê / FOTO: Thinkstock