Finanças

Queda da renda levaria 57% dos consumidores a inadimplência


Boletos, carnês e despesas supérfluas foram apontados por 46% como os meios de pagamento que deixariam de ser pagos em primeiro lugar, de acordo com a Boa Vista


  Por Redação DC 02 de Setembro de 2019 às 09:36

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


De acordo com a Pesquisa Perfil do Consumidor, realizada pela Boa Vista nos seis primeiros meses de 2019, 57% dos consumidores, independentemente de estarem ou não inadimplentes, deixariam de pagar primeiro as contas originadas por meio de boletos e carnês, assim como as demais despesas supérfluas, na hipótese de queda da renda familiar.

Em segundo lugar, com 33%, vêm os consumidores que primeiro deixariam de pagar as contas dos cartões de crédito. Por fim, 10% afirmaram que não pagariam empréstimos e cheques especiais.

Observando apenas os entrevistados adimplentes, 64% afirmaram que deixariam de pagar primeiro os boletos, carnês e despesas supérfluas. Despesas com cartões de crédito apareceram em segundo lugar (28%). Por fim, 8% não pagariam as despesas com empréstimos e cheque especial.

Considerando apenas os consumidores inadimplentes, os boletos, carnês e despesas supérfluas foram apontados por 46% como os meios de pagamento que deixariam de ser pagos em primeiro lugar. E 40% deixariam as contas feitas no cartão de crédito para depois. Empréstimos e cheque especial apareceram, por fim, com 14%. O gráfico abaixo contém os detalhes:


MOTIVO

Entre os entrevistados que deixariam de pagar em primeiro lugar os boletos, carnês e despesas supérfluas, independentemente de estarem ou não inadimplentes, 53% afirmaram que o motivo da escolha é o fato de poderem negociar a dívida posteriormente, e 47% por priorizarem outras contas.

Entre os que deixariam de pagar as despesas de cartões de crédito, foram observados os mesmos números. Por fim, no caso de quem deixaria as despesas com empréstimos e cheque especial para depois, 57% dos entrevistados poderiam negociar a dívida posteriormente, enquanto 43% priorizariam outras contas.

CONTRATAÇÃO DE EMPRÉSTIMO

59% dos consumidores em geral afirmaram que o principal fator que levariam em conta na hipótese de contratação de empréstimo para pagamento de dívida seria a taxa de juros.

O valor das parcelas foi o segundo fator mais apontado, com 37%. Por último, 4% dos entrevistados levariam em conta o prazo de pagamento.

Considerando apenas os entrevistados adimplentes, 70% citaram as taxas de juros. 27% o valor das parcelas e 3% o prazo de pagamento. Já quando considerados apenas os consumidores inadimplentes, o valor das parcelas apareceu como o principal fator (52%), seguido da taxa de juros (44%) e do prazo de pagamento (4%). O gráfico abaixo ilustra os dados.

METODOLOGIA

Pouco mais de 2.200 consumidores, segmentados em inadimplentes e adimplentes, responderam à Pesquisa Perfil do Consumidor realizada de modo online ao longo do 1º semestre de 2019 pela Boa Vista, em todo o território nacional. Os resultados consideram 2% de margem de erro e 95% de grau de confiança.