Finanças

Pedidos de recuperação judicial caem 23,8% em 2017


O resultado é atribuído a retomada do crescimento econômico e a redução contínua das taxas de juros


  Por Estadão Conteúdo 10 de Janeiro de 2018 às 11:06

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Os pedidos de recuperação judicial diminuíram 23,8% em 2017, somando 1.420 requisições, de acordo com Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações.

Em 2016 foram registradas 1.863 requisições, o maior volume registrado desde 2006, após a entrada em vigor da Nova Lei de Falências (junho/2005).

Os economistas da Serasa Experian atribuem o resultado a retomada do crescimento econômico e a redução contínua das taxas de juros.

No ano, as micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial, com 860 pedidos, seguidas pelas médias (357) e pelas grandes empresas (203).

Em dezembro, o indicador verificou aumento de 11,3% nos requerimentos de recuperação judicial frente a novembro. Ante dezembro do ano anterior, entretanto, foi apurada queda de 18,6%. No mês, as Micro e Pequenas Empresas também ficaram na frente com 83 requerimentos, seguidas pelas médias empresas, com 26, e as grandes com 9.

Falências

Os pedidos de falência caíram 7,8% em 2017 ante o ano anterior, somando 1.708 em todo o país. O maior número de pedidos dos últimos quatro anos foi registrado em 2016 (1.852). Dos requerimentos de falência efetuados em 2017, 910 foram de micro e pequenas empresas, 392 de médias e 406 de grandes.

Em dezembro, o indicador verificou queda de 14,2% nos requerimentos de falência em na comparação com novembro. Frente a dezembro de 2016 houve queda ainda maior, de 23,1%, de 150 para 145. As Micro e Pequenas Empresas também ficaram na frente com 65 requerimentos, seguidas pelas médias empresas, com 20, e as grandes com 18.

FOTO: Thinkstock