Finanças

Maioria dos casais não conversa sobre finanças


De acordo com o levantamento da CNDL, emprestar ou pedir dinheiro escondido, gastar demais e estourar o cartão de crédito podem ser sinais de traição financeira


  Por Redação DC 12 de Junho de 2019 às 13:47

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


No dia 12 de junho é comemorado o Dia dos Namorados e com isso a vontade de presentear e surpreender o/a companheiro (a) é natural.

Mas muitas pessoas tem que se lembrar que existem diversas formas de demonstrar os sentimentos, sem comprometer as finanças do casal.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), 66% dos casais brasileiros dizem que não conversam com frequência sobre dinheiro dentro de casa e 48% admite que já brigou com o outro pelo mesmo motivo.

Ainda de acordo com o levantamento, emprestar ou pedir dinheiro escondido, gastar demais e estourar o cartão de crédito podem ser sinais de traição financeira.

A infidelidade financeira é quando um dos (ou os dois) cônjuges gasta dinheiro sem o consentimento do outro, comprometendo o orçamento familiar e gerando dívidas em nome do casal. Esse consumo, muitas vezes começa como algo casual, sem muita importância, mas na maioria das vezes se torna algo corriqueiro, atrapalhando a rotina do casal.

FINTECHS

Uma solução que tem crescido entre os brasileiros é apostar nas fintechs. Os “bancos digitais” já se tornaram uma opção para ajudar as pessoas que precisam limpar o nome e pagar suas dívidas.

De acordo com pesquisa recente do Google, quando o assunto é serviços financeiros, os brasileiros têm se mostrado mais satisfeitos com as fintechs do que bancos tradicionais. Cerca de 71% das pessoas afirmaram que estão contentes com as fintechs, enquanto 42% têm o mesmo sentimento com os bancos tradicionais.

A Simplic (www.simplic.com.br), por exemplo, é a primeira fintech a oferecer empréstimo 100% online a pessoas físicas com valores que variam de R$ 500 a R$ 3.500 e que podem ser pagos em 3, 6, 9 ou 12 vezes.

Fundada em 2014, a empresa possui em sua base mais de 3 milhões de usuários cadastrados. Já são mais de 6 mil solicitações de empréstimos por dia com expectativa de crescimento para 2018 de 110% em relação ao volume de consumidores com acesso a crédito na plataforma - comparado ao ano anterior.

De acordo com o levantamento da fintech até novembro de 2018 as mulheres foram as que mais solicitaram crédito online (51%) e os homens representaram (49%). Entre os principais motivos para a solicitação do empréstimo estão; pagamentos de dívidas/despesas e investimento em negócio próprio.

 “Na fintech o processo é bem fácil: o cliente faz a simulação de crédito no site da empresa, se cadastra e envia seus documentos por e-mail. O retorno da aprovação do crédito é geralmente enviado em até 48 horas para o e-mail cadastrado, podendo chegar antes do prazo previsto. Vale ressaltar que a Simplic oferece uma avaliação diferenciada, o que permite atender clientes que não conseguem obter crédito em instituições financeiras tradicionais. Nosso objetivo é possibilitar crédito de um jeito inovador, sem sair de casa e com muita segurança”, diz Rogério Cardozo, diretor, executivo da Simplic no Brasil.

FOTO: Pixabay