Finanças

Juros do crédito ao consumidor estão no maior nível desde 2005


As taxas médias das principais linhas para as empresas também subiram e alcançaram o mais alto patamar desde janeiro de 2009


  Por Estadão Conteúdo 10 de Março de 2016 às 14:51

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Os juros das operações de crédito para consumidores e empresas subiram em fevereiro aos maiores patamares desde a década de 2000. Segundo pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), as taxas subiram em fevereiro pelo 17º mês consecutivo.

No caso das pessoas físicas, novamente houve aumento nos juros em todas as seis linhas pesquisadas (juros do comércio, cartão de crédito rotativo, cheque especial, CDC de bancos e financiamento de veículos, empréstimo pessoal de bancos e empréstimo pessoal de financeiras). 

O juro médio subiu 0,10 ponto percentual (p.p.) em fevereiro ante janeiro, para 7,77% ao mês (145,46% ao ano), o maior nível desde fevereiro de 2005.

No cartão de crédito, a taxa subiu 0,16 p.p., para 14,72% ao mês (419,60% ao ano) em fevereiro, o maior nível desde outubro de 1995. 

Em relação aos juros do comércio (crediário), houve alta em todos os 12 tipos de lojas pesquisadas, com a média geral subindo 0,10 p.p., para 5,70% ao mês (94,49% ao ano). 

A taxa mais alta foi registrada em Minas Gerais, com 5,82% ao mês (97,16% ao ano). Nos financiamentos de veículos, o prazo médio subiu de 36 para 40 meses.

EMPRESAS

Para as empresas, houve alta nas três linhas (capital de giro, desconto de duplicatas e conta garantida). O juro médio avançou 0,10 p.p. no mês passado ante o anterior, para 4,43% ao mês (68,23% ao ano), o patamar mais alto desde janeiro de 2009.

No caso da conta garantida, a taxa subiu 0,20 p.p., para 7,60% ao mês (140,85% ao ano), o patamar mais elevado desde setembro de 1999.

Segundo a Anefac, as altas podem ser atribuídas a alguns fatores, como o cenário macroeconômico que aumenta o risco de elevação da inadimplência e o avanço das taxas de juros futuros por conta da turbulência política e econômica. 

"A tendência é de que as taxas de juros das operações de crédito voltem a ser elevadas nos próximos meses", diz a entidade.

A Anefac lembra que, considerando todas as elevações da Selic promovidas pelo Banco Central desde março de 2013, houve um aumento de 7,00 p.p. na taxa básica de juros, para o nível atual de 14,25%. 

No mesmo período, a taxa de juros média para pessoa física apresentou uma elevação de 57,49 p.p. Já para empresas, houve uma elevação de 24,65 p.p.

FOTO: Thinkstock