Finanças

Juro no cheque especial sobe para 328,9% ao ano


Para a pessoa física, a taxa média cobrada no crédito livre passou de 73,2% para 73,7% ao ano, de acordo com o BC


  Por Estadão Conteúdo 24 de Novembro de 2016 às 11:49

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


A taxa média de juros no crédito livre subiu de 53,4% ao ano em setembro para 54% ao ano em outubro, de acordo com informações divulgadas hoje (24/11) pelo Banco Central.

Em outubro de 2015, essa taxa estava em 47,9% ao ano. Para pessoa física, a taxa média de juros no crédito livre passou de 73,2% para 73,7% ao ano, de setembro para outubro, enquanto para pessoa jurídica, de 29,8% para 30,4% ao ano, no mesmo período.

Entre as principais linhas de crédito livre para a pessoa física, destaque para o cheque especial, cuja taxa avançou de 324,9% para 328,9% ao ano na mesma comparação.

Com isso, o patamar de juros cobrados nesse tipo de empréstimo continua como o maior da série iniciada em julho de 1994. Para o crédito pessoal, passou de 53,8% para 54,1% ao ano.

Para veículos, os juros passaram de 26,1% ao ano para 25,8% ao ano, de setembro para outubro. Em outubro de 2015, a taxa estava em 25,9%. Em 12 meses, a taxa apresenta ligeiro recuo de 0,1 ponto porcentual e, no ano, há queda de 0,2 ponto porcentual.

A taxa média de juros no crédito total, que inclui também as operações direcionadas (com recursos da poupança e do BNDES) subiu de 33,0% ao ano em setembro para 33,3% ao ano em outubro. Em outubro de 2015, estava em 30,5%.

LEIA MAIS: Falta de competição entre bancos ajuda a manter os juros altos

INADIMPLÊNCIA

A taxa de inadimplência no crédito livre ficou em 5,9% em outubro, mesmo porcentual de setembro. Em outubro de 2015, a taxa estava em 5,0%.

Para pessoa física, a taxa de inadimplência ficou em 6,2% em outubro, também igual a setembro e ante 5,8% em outubro do ano passado. Para as empresas, ficou em 5,6%, ante 5,5% do mês anterior. Estava em 4,3% um ano antes.

A inadimplência do crédito direcionado passou de 1,6% em setembro para 1,9% em outubro.

O dado que considera crédito livre mais direcionado mostra inadimplência de 3,9% em outubro, ante 3,7% verificado em setembro. Um ano antes, a taxa estava em 3,2%.

No cheque especial, o volume de calotes seguiu estável em outubro, em 15,7%, apesar de os juros dessa modalidade se situarem na maior marca desde o início do Plano Real, em julho de 1994.

No caso de aquisição de veículos, o volume de calote atingiu 4,7% em outubro ante 4,6% em setembro. No mesmo mês do ano passado, estava em 4,0%. Já no cartão de crédito, ficou em 8,1% ante 8,2% de setembro e 8,2% de outubro de 2015.

SPREAD

O spread bancário médio no crédito livre subiu de 41,2 pontos porcentuais em setembro para 42,2 pontos porcentuais em outubro, informou o Banco Central.

O spread médio da pessoa física no crédito livre passou de 60,7 para 61,7 pontos porcentuais na comparação mensal. Para pessoa jurídica, o spread médio avançou de 18,0 para 18,9 pontos porcentuais no período.

O spread médio do crédito direcionado permaneceu em 4,3 pontos em outubro, mesmo número visto em setembro. Já o spread médio no crédito total (livre + direcionado) passou de 23,4 pontos para 23,9 pontos porcentuais no período.

O BC informou também que a taxa de captação dos bancos no crédito livre caiu de 12,2% em setembro para 11,8% em outubro. Em outubro de 2015, estava em 14,8%.

Fonte: Thinkstock

Atualizado às 16h20






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade