Finanças

Empresas de telecomunicações passam a abastecer o Cadastro Positivo


Ao organizar o histórico de pagamento dos consumidores, a expectativa é que o Cadastro Positivo possa levar a um mercado de crédito mais seguro e saudável


  Por Redação DC 20 de Abril de 2021 às 15:27

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O Cadastro Positivo passa a receber agora o histórico de pagamento das Telco, como são conhecidas as empresas de telecomunicações. Atualmente, o banco de dados é composto predominantemente por informações de pagamento de consumidores que mantêm contas em bancos e financeiras.

“Além dos bancos e financeiras, agora as maiores operadoras de telefonia móvel começam a nos enviar os históricos de pagamento de seus clientes. Paralelamente, ainda aguardamos o envio por parte das distribuidoras de água, gás e energia e das empresas do varejo”, explica Dirceu Gardel, CEO da Boa Vista.

O birô de crédito que este movimento beneficie uma parcela significativa da população brasileira, especialmente aquela que não é bancarizada ou não possui registro em carteira, e que está sendo fortemente impactada pela crise ocasionada com a pandemia.

Em vigor desde abril de 2019, a nova lei do Cadastro Positivo tornou automática a inclusão de consumidores (pessoas físicas e pessoas jurídicas) no banco de dados com informações de pagamento.

Desde julho do mesmo ano, as empresas fontes de informações de crédito, como são chamadas as instituições financeiras, as empresas do varejo, de telefonia e as que fornecem serviços continuados, como água, gás e energia elétrica, têm de compartilhar às Gestoras de Banco de Dados (GBD), como é o caso da Boa Vista, esse histórico de pagamento de seus clientes, feito que vem ocorrendo gradualmente, e que agora ganha ainda mais força com as informações das Telco.

“Com o envio dessas informações por parte das empresas fontes, a Boa Vista terá ainda mais elementos para desenvolver e entregar ao mercado, em especial às concedentes de crédito, informações mais completas sobre o comportamento de pagamento dos consumidores”, explica Gardel.

Segundo ele, de posse de uma análise mais precisa, os consumidores, por sua vez, poderão esperar do mercado uma apreciação creditícia mais personalizada, com taxas de juros e prazos melhores do que os atualmente praticados. E aqueles com dificuldades para obter crédito se analisado somente o histórico de débitos, por exemplo, terão mais chances de ter a aprovação.

Com as informações do Cadastro Positivo, o recém-lançado Centro de Excelência em Analytics (CEA) da Boa Vista já desenvolveu três gerações de modelos de scores, levando a empresa para a fronteira do conhecimento no desenvolvimento de algoritmos de alta performance.

Essas soluções estão destinadas a ajudar tanto empresas a resolverem problemas de negócios, tomando decisões mais assertivas, quanto a apoiar os consumidores a resgatarem potencial para realizar seus sonhos de consumo, via acesso a crédito.

 

 






Publicidade






Publicidade









Publicidade