Finanças

Dólar cai e Bolsa dispara


O que explica esse movimento é o inesperado aumento de 4 pontos percentuais nas intenções de voto do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) captado pela pesquisa do Ibope


  Por Estadão Conteúdo 02 de Outubro de 2018 às 19:05

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Os investidores do mercado brasileiro de ações promoveram uma corrida às compras nesta terça-feira (2/10), e levaram o Índice Bovespa a uma alta expressiva, embalada pelo cenário eleitoral.

O inesperado aumento de 4 pontos percentuais nas intenções de voto do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) captado pela pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo foi o principal assunto do dia e se sobrepôs ante todos os outros fatores em segundo plano.

Com o mercado mais confiante na vitória de um candidato alinhado a uma agenda reformista, o Ibovespa fechou aos 81.612,28 pontos, com alta de 3,80%.

Foi a maior pontuação desde 22 de maio de 2018 e maior variação percentual desde 7 de novembro de 2016 (+3,98%). Os negócios somaram R$ 16,6 bilhões, bem acima da média das últimas semanas, de R$ 9,6 bilhões.

Das 65 ações da carteira do Ibovespa, apenas 3 fecharam em queda, todas elas de empresas exportadoras, negativamente impactadas pela queda do dólar ante o real.

Na ponta oposta estiveram os papéis de empresas estatais, principais termômetros da percepção de risco político no mercado de ações.

"É bastante claro que houve um pouco de 'overshooting' no mercado. Mas a virada mais forte de humor ocorreu principalmente porque o resultado da pesquisa foi surpreendente, uma vez que Bolsonaro não vinha bem nas pesquisas e sofria ataques de diversos lados", disse Victor Cândido, economista-chefe da Guide Investimentos. 

DÓLAR

O dólar caiu 2,47%, em R$ 3,9304. Foi o nível mais baixo desde 17 de agosto (R$ 3,9142) e a maior queda diária desde 8 de junho, quando caiu 5,35% após o Banco Central e o Tesouro anunciarem ação conjunta para conter a disparada do câmbio.

O real foi a segunda moeda que mais ganhou valor hoje ante o dólar, atrás apenas do peso argentino, contrariando outras divisas de emergentes, que perderam terreno ante o dólar.

As eleições foram o principal motor do comportamento do câmbio hoje, com as mesas de operação repercutindo os resultados da pesquisa eleitoral do Ibope, que mostrou o candidato Jair Bolsonaro (PSL) subindo quatro pontos e Fernando Haddad (PT) sem oscilar, além do aumento de sua taxa de rejeição.

IMAGEM: Thinkstock