Finanças

Diferença entre tarifas de bancos chega a 447,5%


Consumidor que estiver usando o crédito do cartão para pagar água e luz deve observar as taxas dos bancos


  Por Estadão Conteúdo 02 de Julho de 2015 às 21:00

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP mostra que a diferença de valor entre os serviços bancários prioritários pode chegar a 447,50%. Este é o caso das tarifas de "pagamento de contas" na função crédito do cartão: o menor valor encontrado foi de R$ 4 pelo Banco do Brasil e o maior de R$ 21,90 pelo Santander.

A avaliação indica ainda que nos pacotes padronizados pelo Banco Central o menor valor cobrado é de R$ 11,90 no HSBC, enquanto no Itaú a tarifa é de R$ 16,40, ou seja, 37,82% mais cara.

Na comparação realizada entre as instituições financeiras pesquisadas em 2014 e 2015 referente aos Pacotes Padronizados I, II, III e IV, o Procon-SP verificou que o valor médio aumentou em todos os planos.

O maior aumento de tarifa ocorreu no Pacote Padronizado III: o valor médio em junho do ano passado foi de R$ 18,21 para R$ 19,93 no mesmo período de 2015, elevação de 9,41%.

Esses quatro tipos de pacotes de serviços são oferecidos pelos bancos aos correntistas, com base em regras estabelecidas pelo Banco Central.

Assim, o pacote de número um oferece uma quantidade mínima de serviços como saque, extratos e transferências. O dois abrange um número maior destas operações, além de cheque e transferências do tipo DOC e TED.

A quantidade de operações permitidas aumenta nos pacotes três e quatro, assim como a mensalidade que o correntista paga ao banco em cada uma dessas opções. 

A pesquisa do Procon-SP analisou e comparou os valores de serviços prioritários e de pacotes padronizados de sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, HSBC, Itaú, Safra e Santander. Os valores foram coletados nos sites dos bancos no dia 16 de junho.

Foto: Thinkstock






Publicidade





Publicidade







Publicidade