Finanças

Demanda de empresas por crédito cai em fevereiro


O índice sofreu em fevereiro um tombo de 15,4% na comparação com janeiro, que por sua vez registrou uma expansão de 5,1% sobre dezembro de 2017, de acordo com a Serasa


  Por Estadão Conteúdo 20 de Março de 2018 às 12:55

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A demanda das empresas por crédito sofreu em fevereiro um tombo de 15,4% na comparação com janeiro, que por sua vez registrou uma expansão de 5,1% sobre dezembro de 2017, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito.

Na leitura de fevereiro com o mesmo mês do ano passado, a demanda das empresas por crédito mostra um crescimento de 1,2%.

No acumulado de janeiro e fevereiro, as instituições financeiras receberam 6,7% a mais de solicitação de crédito pelas empresas.

Ao analisar os dados, os economistas da Serasa Experian destacam a variação interanual da demanda empresarial por crédito que, de acordo com eles, consolida a retomada do crescimento econômico combinada com a queda dos juros. Por esta leitura dos dados, a demanda por crédito cresce pela quinta vez consecutiva.

O Indicador da Demanda das Empresas por Crédito é construído a partir de uma amostra de cerca de 1,2 milhão de CNPJ consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian.

A quantidade de CNPJ consultados, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre as empresas e as instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100). O indicador é segmentado por região geográfica, setor e porte.

De acordo com a Serasa Experian, a alta interanual da busca empresarial por crédito em fevereiro foi determinada pelo comportamento das micro e pequenas empresas, que aumentaram suas demandas em 1,4%.

Nas médias empresas houve retração de 5,9% e nas grandes empresas a queda foi de 2,9% neste segundo mês do ano.

Na comparação com o primeiro bimestre do ano passado, a busca empresarial por crédito cresceu 7,1% nas micro e pequenas empresas. Nas médias empresas houve retração de 6,6% e, nas grandes empresas, o recuo foi de 2,5%.

Na avaliação por setores, o que o levantamento mostra que em fevereiro último as empresas de serviços expandiram suas demandas por crédito em 3,5% frente a idêntico mês no amo passado.

Nas empresas do setor industrial, porém, houve recuo de 4,1% e nas empresas comerciais, praticamente houve estabilidade, com ligeira queda de 0,1%.

Frente ao acumulado dos primeiros dois meses do ano passado, as empresas de serviços expandiram suas demandas por crédito em 8,96%. Nas empresas comerciais a alta interanual foi de 5,3% e nas empresas industriais, a expansão foi de 4,1%.

Em fevereiro, a demanda empresarial por crédito cresceu 3,6% no Centro-Oeste, 2,7% no Sul e 0,4% no Sudeste. Na direção contrária, houve recuos no Norte (1,8%) e no Nordeste (0,7%), sempre em relação ao mesmo mês do ano passado.

Já no acumulado do primeiro bimestre, todas as regiões mostraram avanço em suas demandas empresariais por crédito. No Sul a expansão foi de 11,7%. Na Região Nordeste o crescimento foi de 10,6%, no Centro-Oeste, de 7,1%; no Norte, de 4,1% e Sudeste, expansão de 3,1%.

FOTO: Thinkstock