Finanças

De carona na Selic, bancos reduzem taxas a famílias e empresas


Itaú, Bradesco e Banco do Brasil anunciam juros menores nas linhas de crédito para pessoas físicas e jurídicas


  Por Estadão Conteúdo 22 de Fevereiro de 2017 às 19:19

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O Itaú Unibanco anunciou nova redução de juros, na sequência de um novo corte da Selic por parte do Banco Central, anunciado nesta noite de quarta-feira (22/02). 

O banco repassará, conforme nota à imprensa, o corte integral da taxa básica, de 0,75 ponto, para pessoas físicas e jurídicas.

"Acreditamos que a política monetária vem sendo conduzida de forma a beneficiar o crescimento econômico sustentável num ambiente de baixa inflação", afirma Roberto Setubal, presidente do Itaú Unibanco, em nota.

A redução dos juros será estendida, segundo o Itaú, a todos os clientes que utilizam as linhas de empréstimo pessoal, cheque especial, cartão de crédito e financiamento de veículos. Para as micro e pequenas empresas, houve corte nas taxas do cheque especial, capital de giro e contas garantidas.

BRADESCO

O Bradesco também anunciou redução em suas taxas de juros, minutos após o Banco Central decidir por um novo corte na Selic, de 0,75 ponto porcentual, para 12,25% ao ano. 

As novas condições, que entram em vigor a partir de 1º de março em toda a rede de agências do banco, valem para pessoas físicas e jurídicas.

Dentre as linhas de crédito que tiveram redução no caso dos indivíduos, a de empréstimo Pessoal teve sua taxa mínima cortada de 1,89% para 1,83% ao mês, e a máxima de 7,72% para 7,66% ao mês. A modalidade Credfácil Veículo, que tem como garantia o próprio bem, foi reduzida de 5,92% para 5,86% ao mês, no caso do juro máximo. Na modalidade CDC Outros Bens, a taxa máxima foi cortada de 5,90% para 5,84% ao mês.

Já entre as linhas de financiamento para pessoa jurídica, a de Capital de Giro teve redução de 3,49% para 3,43% ao mês na taxa mínima, e de 6,95% para 6,89% na máxima. 

Na modalidade Credinvestimento, capital de giro com múltiplas garantias, a taxa máxima passou de 6,79% para 5,99% ao mês. Já nos cartões de crédito, para o portfólio da bandeira Elo, os juros máximos do rotativo, que contam com novas regras a partir de abril, ficarão entre 3,1% a 9,9% ao mês a partir da próxima fatura. A taxa máxima cobrada anteriormente na modalidade era de 16,9% ao mês.

Esse é o segundo anúncio de redução de juros que o Bradesco faz este ano. Após o Banco Central acelerar o corte da Selic, os grandes bancos acompanharam o movimento e começaram a repassar as menores taxas para os clientes.

BANCO DO BRASIL

No Banco do Brasil, as principais quedas, de até 0,12 ponto porcentual ao mês, ocorrerão, de acordo com a instituição, em linhas de crédito para capital de giro voltadas a micro e pequenas empresas, com destaque para operações de recebíveis. Os novos juros entram em vigor a partir do dia 1º de março.

Na pessoa física, por exemplo, a taxa mínima do cheque especial passa de 4,42% ao mês para 4,36% enquanto a máxima vai de 12,95% ao mês para 12,89%.

No crédito imobiliário, as linhas contempladas pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), a taxa mínima passa de 11,29% ao ano para 10,80% ao ano e a máxima de 11,49% para 11,00%.

Já para a linha crédito hipotecário (CH) do banco, o juro mínimo passa de 12,29% para 11,80% ao ano e o máximo de 12,51% para 12,02%.

Do lado das empresas, o BB reduziu os juros do cheque ouro empresarial de 8,47% ao mês para 8,43% a taxa mínima e de 13,64% ao mês para 13,60% a máxima. A linha giro rápido teve idênticos cortes.

"A redução continuada da Taxa Selic contribui para melhorar o ambiente econômico e cria condições objetivas para a retomada do consumo do crédito por pessoas físicas e jurídicas", destaca o presidente do BB, Paulo Caffarelli, em nota à imprensa.

No último dia 11 de janeiro, o BB já havia anunciado redução de juros após a reunião anterior do Copom, incluindo a queda de até 4 pontos porcentuais no crédito rotativo, que passa a contar com novas regras a partir de abril próximo.

FOTO: Thinkstock





Publicidade





Publicidade









Publicidade