Finanças

Caixa divulga calendário de saques do FGTS inativo de 2017


Os pagamentos serão realizados entre março e julho. As datas estão organizadas de acordo com o mês de nascimento do trabalhador


  Por Agência Brasil 14 de Fevereiro de 2017 às 11:47

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


A Caixa Econômica Federal divulgou, na manhã desta terça-feira (14/02), o calendário de saques do FGTS inativo. Os pagamentos serão realizados entre março e julho. Beneficiários nascidos nos meses de janeiro e fevereiro poderão procurar as agências da Caixa de 10 de março a 9 de abril.

Quem nasceu em março, abril e maio vai sacar o dinheiro entre 10 de abril e 11 de maio. Trabalhadores nascidos nos meses de junho, julho e agosto vão receber entre os dias 12 de maio e 15 de junho; nascidos em setembro, outubro e novembro, de 16 de junho a 13 de julho; e  nascidos em dezembro, de 14 a 31 de julho.


AGÊNCIAS

De acordo com o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, cerca de 30 milhões de trabalhadores serão contemplados, em operação que envolve 49 milhões de contas e aproximadamente R$ 43 bilhões.

Occhi afirmou que a Caixa abrirá agências a partir da quarta-feira, (15/02), com duas horas de antecedência até a próxima sexta-feira. Além disso, funcionará por cinco horas aos sábados, para atender ao trabalhador.

"É com espírito republicano, de dedicação ao atendimento ao cidadão, que a Caixa irá trabalhar a partir de amanhã em todas as suas unidades, disponibilizando um site especificamente para as contas inativas", acrescentou Occchi.

O trabalhador poderá acessar o site www.caixa.gov.br/contasinativas ou ligar para o 0800-7262017 para conseguir informações.

OBJETIVO É INJETAR VALORES NA ECONOMIA 

O presidente da República, Michel Temer, disse durante a cerimônia de anúncio de calendário de pagamento das contas inativas do FGTS que, se todos os brasileiros que tiverem dinheiro a sacar das contas inativas realizarem a retirada, a economia receberá R$ 40 milhões.

Ele lembrou que a medida foi anunciada no fim do ano passado pelo governo para acelerar a retomada da economia e que ela é fruto do objetivo da equipe econômica de seu governo de "injetar valores na economia brasileira".

Em seu discurso a uma plateia que incluía - como de costume - parlamentares da base aliada, o presidente aproveitou para fazer uma defesa da reforma trabalhista, que ele está chamando de "modernização" da legislação. 

O presidente disse que é preciso ler a constituição que já traz "o enaltecimento das convenções e acordos coletivos". 

Temer destacou por fim que suas medidas econômicas buscam ajustar as contas públicas, mas sem esquecer das políticas sociais. 

"A responsabilidade fiscal corre paralelamente a responsabilidade social", afirmou.

EMPRESAS TERÃO MAIS RECURSOS PARA PRODUZIR 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que também participou da cerimônia, que a liberação de saques de recursos do FGTS é uma medida inserida em um processo maior, de diminuição do tamanho do Estado. 

"Assim, o Estado começa cada vez mais a não tutelar, cada um tendo a possibilidade e o direito de alocar os recursos da maneira como ele ou ela acha, partindo do pressuposto do interesse de cada um", disse Meirelles. 

Para o ministro, a medida de liberação do FGTS "gera mais recursos para as empresas produzirem e mais emprego e renda.”

"Essa é uma medida que sintetiza de uma forma prática as linhas de ação e objetivos deste governo”, disse Meirelles. 

*Com informações de Estadão Conteúdo 

FOTO: Thinkstock