Finanças

Caixa deixa de emprestar dinheiro para a compra da segunda casa


Quem contratou a linha de financiamento imobiliário do banco só poderá pegar esse recurso novamente se for para a compra de imóveis comerciais ou lotes para construção


  Por Rejane Tamoto 05 de Agosto de 2015 às 19:50

  | Editora rtamoto@dcomercio.com.br


A Caixa Econômica Federal informou que não concederá um novo financiamento à casa própria para os clientes que já obtiveram crédito no banco estatal para a mesma finalidade.

A nova regra vai começar a ser colocada em prática a partir do dia 17 de agosto nas linhas de financiamento com recursos da poupança para a compra de imóvel novo ou usado.

A exceção será para os clientes que queiram um novo financiamento para comprar imóveis comerciais ou lotes urbanos para construção de moradia. Nessas condições, mesmo possuindo financiamento em curso, será possível pegar um novo empréstimo.

A Caixa afirmou, em nota, que essas operações representam 2,4% da quantidade de financiamentos concedidos pelo banco.

A instituição reiterou que o foco do banco em 2015 é o financiamento de imóveis novos, com destaque para a habitação popular, por meio do Minha Casa Minha Vida ou com recursos do FGTS. Nesses casos, não houve nenhuma alteração.

Neste ano, o banco estatal já subiu duas vezes as taxas de juros das operações para financiamentos de imóveis residenciais com recursos da poupança. Em 2014, as taxas ficaram congeladas durante todo o ano.

A Caixa mudou a forma como libera os financiamentos à casa própria porque enfrenta dificuldades com a fonte de recursos dessas operações: os depósitos na caderneta de poupança. No primeiro semestre deste ano, os saques ultrapassaram os depósitos em R$ 38,5 bilhões.

O governo tentou socorrer os financiamentos imobiliários com um pacote que inclui mais R$ 5 bilhões do FGTS e a liberação de R$ 22,5 bilhões de compulsórios, depósitos que os bancos são obrigados a manter no Banco Central, desde que fossem usados para crédito imobiliário.

LEIA MAIS: Restrições no financiamento imobiliário chegam aos bancos privados

O desempenho das concessões de crédito imobiliário está refletindo as medidas restritivas adotadas pelos bancos por causa da redução dos recursos da poupança. 

Dados da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) mostram que o volume de empréstimos para a aquisição e construção de imóveis somou R$ 5,9 bilhões em junho - uma queda de 35,6% sobre igual mês de 2014.

O levantamento mostra que os recursos destinados à aquisição e construção de imóveis no primeiro semestre totalizou R$ 44,8 bilhões, um recuo de 15,8% sobre o mesmo período do ano passado. 

Assim, houve redução de unidades adquiridas por meio do empréstimo imobiliário. No primeiro semestre, cerca de 200 mil imóveis foram financiados, queda de 22,1% em relação ao mesmo período de 2014.

IMAGEM: Thinkstock

* Com informações de Estadão Conteúdo






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade