Finanças

BC limita opções do Pix para definição de horário noturno


Agora, o período pode compreender entre 22h e 6h, mas bancos podem oferecer opção de cadastrar previamente contas que poderão receber transferências acima do limite de R$ 1 mil


  Por Estadão Conteúdo 22 de Novembro de 2021 às 14:01

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


O Banco Central (BC) limitou as opções para a definição do horário de período noturno para o uso do Pix, o sistema de pagamento instantâneo. A mudança foi publicada nesta segunda-feira, 22/11, no Diário Oficial da União.

A pedido do usuário final, "o período noturno poderá compreender o período entre 22 horas e 6 horas", diz a instrução normativa publicada. Desde 4 de outubro, passou a valer o limite de R$ 1 mil para transferências e pagamentos realizados por pessoas físicas das 20h às 6h.

Mas até então, a pedido do usuário, o período noturno poderia ser iniciado de 20h às 23h59. A limitação de transferências e pagamentos foi uma das medidas anunciadas pelo Banco Central para tornar o Pix mais seguro e reduzir a vulnerabilidade dos sistemas às ações de criminosos, como sequestros.

O valor do limite noturno ainda pode ser alterado a pedido do cliente, através dos canais de atendimento eletrônicos. Porém, a instituição financeira deve estabelecer prazo mínimo de 24 horas para a efetivação do aumento.

Não há restrição para transferências e pagamentos a empresas nesse horário, apenas entre pessoas físicas e MEIs (Microempreendedores individuais). Segundo o BC, os bancos devem oferecer a seus clientes a opção de cadastrar previamente contas que poderão receber transferências acima dos limites estabelecidos.

A inclusão da definição do início do período noturno "deve ser efetivada por todos os participantes do Pix até 29 de julho de 2022". Neste mês, o Pix completou um ano com melhorias e novas promessas para o futuro.

Já entrou em vigor mecanismo que deve agilizar o ressarcimento ao usuário vítima de fraude ou de falha operacional das instituições financeiras. No fim do mês, começam o Pix Saque e o Pix Troco, que permitirão aos clientes fazer pagamentos por produtos e serviços e receber troco ou fazer saques nas redes varejistas credenciadas.

Para o médio prazo, estão previstas a possibilidade de pagamentos instantâneos de compras em outros países.

FOTO: Marcello Casal Jr./Agência Brasil






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade